O sofá e a Agecopa — Artigo de José Antônio Lemos

José Antônio Lemos

Agora que entramos nos últimos 1000 dias para a Copa do Mundo de 2014 quisera estar falando sobre o espetáculo proporcionado pelos atletas e pelo público durante o Sul-Americano de Vôlei em Cuiabá, pelo qual o governador Silval merece muitos aplausos; ou sobre os investimentos do setor hoteleiro com suas 10 novas torres sendo inauguradas ou em execução e mais 10 previstas até a Copa; ou sobre os investimentos do setor imobiliário com quase 100 condomínios de uma ou mais torres, ou sobre a fábrica de cimento do Aguaçu de R$ 360,0 milhões, ou ainda sobre os investimentos do setor comercial, destacando os R$ 85,0 milhões da ampliação do shopping Goiabeiras. Mas no setor público a situação é outra, e o caso da extinção da Agecopa nos força lembrar a antiga piadinha do fulano que, traído no sofá da sala, não teve dúvidas: vendeu imediatamente o sofá.

Seria de fato necessária a extinção da Agecopa? Ou melhor, será oportuna essa mudança a 1000 dias da Copa? Convém lembrar que 6 meses atrás o sofá foi reformado, quando adotaram o estilo presidencialista, em substituição ao colegiado. Esqueceram, porém de mexer no status de secretário de estado dos antigos diretores. Como um secretário poderia mandar em outro? Não deu certo. Aquela reforma parece não ter sido pensada o suficiente. E agora está sendo? E se não der certo, a Copa do Pantanal resistiria a uma nova mudança? Não seria melhor um ajuste? Está sobrando gente? Corta. Sobram políticos e faltam técnicos? Dispensem os políticos excedentes e contratem mais técnicos.

Apesar de aparentemente já decidido, cabem algumas considerações ao assunto. Primeiro, não me parece justificativa válida para a extinção da agência o fato de Cuiabá ter sido a única das cidades-sede a criar uma estrutura específica para tocar a Copa. A criação foi necessária pois, ao contrário das demais sedes, Cuiabá não dispõem de um órgão de planejamento da cidade. A insipiente estrutura que existia no IPDU foi desativada na administração municipal passada e extinta na atual. É a única cidade brasileira acima dos 500 mil habitantes nessa situação esdrúxula. As amplas e profundas transformações exigidas pela Copa seriam facilitadas se Cuiabá e Várzea Grande tivessem estruturas de planejamento urbano funcionando. Mas como absurdamente não têm, foi coerente a criação de uma estrutura que centralizasse os planos, a execução e controle dos projetos para a Copa. Se descambou por outros caminhos, a culpa não é da estrutura da agência.

Continue Reading

Share Button

Preparando o começo – Artigo de José Antônio Lemos

José Antônio Lemos

Na última quinta-feira, dia 4, o governador do estado e o presidente da Agecopa lançaram dois blocos de obras importantes para a cidade. Uma é a duplicação da Avenida Vereador Juliano da Costa Marques, ligando a Avenida do CPA, do Shopping Pantanal à Avenida Gonçalo Antunes de Barros, antiga Jurumirim. A outra abrange um complexo de obras viárias envolvendo a extensão da mesma Avenida Gonçalo Antunes de Barros, com a pavimentação de diversas ruas de acesso àquela avenida, inclusive a construção de uma ponte sobre o Gumitá. São algumas das denominadas obras de desbloqueio, necessárias ao funcionamento da cidade enquanto as obras principais da mobilidade urbana estiverem em execução. Muitas outras deste tipo estão programadas segundo o noticiário da Agecopa, tais como a duplicação da Barão de Melgaço, a ponte do São Gonçalo, a Avenida do Barbado, a rua da Mangueira, o túnel da Trigo de Loureiro a as ligações entre a Fernando Correia e a Archimedes Lima, entre outras.

São obras importantes para a cidade? Sem dúvida. Um dia seriam executadas ainda que a Copa não existisse. Mas duvido que as teríamos tão cedo não fosse a Copa. Daí o entusiasmo pela realização da Copa do Pantanal em Cuiabá. Ainda pensando na mobilidade urbana e no apoio à execução das grandes obras principais, reitero a idéia de que existem algumas obras muito pequenas, de baixo valor, mas que poderiam trazer grandes resultados para a circulação viária e que ainda não vi citadas na programação da Agecopa. Uma delas seria um retorno na Miguel Sutil entre as rótulas do Centro de Convenções e a do Santa Rosa, dispensando o fluxo de veículos destinados ao Coxipó e CPA de fazer o retorno na rótula do Santa Rosa, mesmo depois de suas obras concluídas. Outra obra pequena seria a ligação da Travessa Monsenhor Trebaure à Marechal Deodoro, que aliviaria a interseção com a Mato Grosso. Outra seria a ligação direta da Rua Tereza Lobo à Miguel Sutil, aliviando a rótula da Rodoviária. Outro dia a prefeitura pavimentou um trecho desse percurso, deixando uns 200 metros para se chegar à Miguel Sutil, justo o que daria um resultado extraordinário. A pavimentação da Rua 4 do Boa Esperança e de suas ligações ao bairro ajudaria muito a desafogar a Rua 1, principal acesso ao bairro e uma das únicas ligações da Fernando Correia com a Archimedes Lima.

Continue Reading

Share Button

Agecopa define com Silval Barbosa aspectos para reunião em Brasília à efetivação de modal

O governador Silval Barbosa recebeu na manhã desta quarta-feira (20.07), em seu gabinete no Palácio Paiaguás, a diretoria da Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo Fifa Brasil 2014 (Agecopa), que fez um “posicionamento” de todos os aspectos que serão colocados na reunião a ser realizada, ainda na tarde desta quarta-feira, no Ministério do Planejamento, juntamente com os ministérios do Esporte e Cidades, em Brasília (DF).

O presidente da Agecopa, Eder Moraes, disse que a reunião em Brasília tem como objetivo “efetivar a alteração do modal de transportes de BRT para VLT”. Além disso, segundo Moraes, serão elencadas outras obras de mobilidade urbana, como obras de desbloqueio e pleitear a inclusão para se ter o “regime diferenciado de contratação”, já que essa nova ferramenta – aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pela presidenta Dilma Rousseff – só pode ser utilizada por obras que estão dentro do escopo da mobilidade urbana.

Continue Reading

Share Button

Ótimas da semana – Artigo de José Antônio Lemos

José Antônio Lemos

Primeiro venderam uma rua, depois mudaram a estrutura da prefeitura e extinguiram o IPDU, daí alteraram as regras do uso e ocupação do solo urbano e agora iniciam a terceirização dos serviços de saneamento em Cuiabá com a criação na semana passada de uma agência municipal reguladora para o setor. Tudo sem discussão pública, sem respeito ao direito da cidadania de discutir os assuntos referentes à cidade, que, afinal, é sua. Contudo, nem mais este triste episódio na gestão da cidade, nem a grotesca eliminação da seleção brasileira da Copa América hão de ofuscar as ótimas notícias desta semana.

A primeira foi a visita de empresários chineses a Cuiabá para manifestar interesse pela construção da ferrovia Cuiabá-Santarém. Repito, Cuiabá-Santarém, passando por Nova Mutum, Lucas, Sinop, sem excluir ninguém. A visita merece pelo menos dois destaques. Primeiro, é a prova da existência de interessados por esta ferrovia cuja concessão foi outro dia estranhamente devolvida à União pela ALL. O segundo destaque é que, se há interessados, é porque a ferrovia é viável, conforme atestam há décadas estudos de viabilidade como os do antigo GEIPOT, da antiga SUDECO e os dados da produção regional e de tráfego de cargas nas nossas rodovias, em especial no trecho Jangada-Cuiabá-Rondonópolis, a chamada Rodovia da Morte. Mato Grosso hoje é uma as regiões mais dinâmicas do planeta, o maior produtor agropecuário do Brasil e um os maiores o mundo, também maior produtor de calcáreo, diamantes e um dos líderes em álcool e biodiesel. Se uma ferrovia cortando o eixo de uma região como esta não é viável, qual seria então? Ao leigo, mas não idiota, trata-se da ferrovia mais viável no mundo e sua implantação será a solidificação do eixo da BR-163, espinha dorsal de Mato Grosso, consolidando este estado unido e trabalhador que alimenta o mundo e é exemplo de desenvolvimento.

Continue Reading

Share Button

Avenida Parque do Barbado

José Antônio Lemos

O anúncio pela Agecopa da Avenida do Barbado entre os projetos preparatórios de Cuiabá para a Copa do Pantanal em 2014, amplia o leque de possibilidades de legados positivos da Copa para a cidade. Trata-se de um projeto nascido na segunda metade da década de 80, na primeira administração Dante de Oliveira na prefeitura de Cuiabá, cuja execução até chegou a ser iniciada por ele no trecho entre a Archimedes Lima e a então Avenida dos Trabalhadores.

Integra o conjunto de 3 novas avenidas essenciais ao presente e futuro da cidade, inclusive na Copa. As outras são a ligação da Beira-Rio ao São Gonçalo Beira-Rio com uma nova ponte sobre o Coxipó e a ligação da Estrada da Guia ao Trevo do Lagarto, com outra ponte sobre o Cuiabá, próxima ao Sucuri. Sem elas, as intervenções projetadas nas avenidas existentes não surtirão os resultados esperados. É claro que é preciso melhorar o sistema viário atual, com correções geométricas, novas interseções, pavimentação, recapeamento, sinalizações horizontais e verticais, iluminação, e, sobretudo, calçadas novas e acerto das calçadas antigas. Mas não basta. Sem novas e bem estudadas avenidas essas intervenções podem até deixar as atuais avenidas bem bonitinhas, mas, continuarão engarrafadas, e cada vez mais.

Continue Reading

Share Button

Governo de Mato Grosso lança projeto para recuperação das margens dos rios do Pantanal

O Governo de Mato Grosso lançou, nesta segunda-feira (06.06), o programa Copa Verde, com objetivo de neutralizar a emissão de carbono provocado pela construção da Arena Pantanal – Estádio Governador José Fragelli (Verdão).

O governador Silval Barbosa plantou a primeira muda das 500 plantadas na comunidade Barranco Alto, em Santo Antônio do Leverger. Ao final do projeto serão plantadas 1,4 milhão de árvores e Mato Grosso da mais um passo inovador na busca de certificações ecológicas com reconhecimento internacional. Com o projeto Copa Verde, Cuiabá será a primeira cidade-sede da Copa do Mundo Fifa Brasil 2014 com neutralização de todo o carbono emitido na construção da nova arena. O lançamento, com a presença do governador Silval Barbosa, aconteceu no sítio de Manuel José de Arruda, conhecido Zelino, a margem do Rio Cuiabá, proprietário que assinou o TAC (termo de ajustamento de conduta) com o Ministério Público Estadual para plantar e conservar as árvores. A família de seu Zelino será beneficiada, com outras quase três mil famílias ribeirinhas, ao serem remuneradas por serviços ecossistêmicos.

“Estamos aqui, hoje, fazendo o lançamento simbólico deste programa, mas ele será uma constante de nosso Governo”, disse Silval Barbosa no lançamento do programa. O governador destacou que a questão ambiental em sua gestão é focada como prioridade. “Sabemos da necessidade de ações como estar ser uma constante”, afirmou.

Durante o discurso de lançamento, Silval Barbosa voltou a enfatizar que o Governo está atento a questão ambiental e não vai tolerar desmatamento ilegal, mas lembrou que essa luta pela preservação do meio ambiente por parte dos profissionais de imprensa tem um papel fundamental na conscientização. “Ontem, 05 de junho, foi o Dia do Meio Ambiente, mas nós queremos que todos os dias sejam voltados para questão ambiental. Nós estamos, aqui, falando de vida, de sobrevivência da nossa biodiversidade, da preservação da flora e do equilíbrio de nosso ecossistema, enfim nós estamos falando da preservação do patrimônio da humanidade que é o pantanal mato-grossense”, disse.

O projeto visa a plantação de 1,4 milhão de árvores de 62 espécies, em margens fluviais para recuperação da mata ciliar dos Rios Cuiabá, Paraguai e São Lourenço – rios que formam o Pantanal. Ao todo serão perto de 3 mil famílias ribeirinhas que serão beneficiadas pelo projeto, com geração de renda e regularização ambiental da propriedade como assinatura de TAC, como aconteceu com a família de Zelino. Nove cidades serão beneficiadas diretamente pelo projeto: Cuiabá, Várzea Grande, Santo Antônio do Leverger, Jangada, Nobres, Rosário Oeste, Poconé, Acorizal e Barão de Melgaço.

Nos próximo três anos, o governo de Mato Grosso, por meio da Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo Fifa Brasil 2014, vai investir R$ 3,5 milhões no projeto Copa Verde, dos quais R$ 710 mil serão pagos diretamente aos moradores das comunidades pela venda do crédito de carbono.

O presidente da Agecopa, Eder Moraes, destacou que a ações ambientais não vão parar. Ele lembrou que dentro das obras de mobilidade urbana, no trecho da Av. Ten. Cel. Duarte (Prainha), serão construídos emissários que vão levar o esgoto para ser tratado na ETE Dom Aquino. Outro projeto importante, anunciado por Eder, foi o de adoção de árvores, atendendo uma reivindicação do governador Silval Barbosa.

Continue Reading

Share Button

Papo Pedestre: Quem vai fazer os ônibus de Cuiabá andar no horário?

Certo. O governo de Mato Grosso, por meio da Agecopa, vai investir não sei quantos milhões nos projetos de mobilidade urbana, entre os quais o BRT, com dois eixos: Aeroporto-CPA e Tijucal-Centro, dentro dos compromissos assumidos com a Fifa para a realização da Copa do Mundo.

A mobilidade urbana é um dos principais legados que a Fifa quer deixar para os cuiabanos e várzea-grandenses, assim com a Arena e o Fan Park.

Há uma disputa conceitual sobre os projetos de mobilidade.

Alguns setores da sociedade vem se manifestando contra o BRT, apontando que os modais VLT e nomotrilho são mais eficientes ou, em outra linguagem, mais modernos por exigir menos desapropriações, que vem sem uma das principais preocupações de moradores e comerciantes que podem gerar uma ‘despensa’ extra em indenizações…

Continue Reading

Share Button

Silval Barbosa conhece a nova sede da Agecopa no Bairro Goiabeiras

O governador Silval Barbosa conheceu nesta segunda-feira (10.01) a nova sede da Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Pantanal 2014 (Agecopa), no bairro Goiabeiras. A Agecopa estava provisoriamente instalada no Ginásio de Esportes Aecim Tocantins, no bairro Verdão. Silval Barbosa percorreu todos os setores da Agecopa na companhia do diretor-presidente Yênes Magalhães.

O novo espaço, segundo Yenês Magalhães, vai proporcionar mais conforto e ao mesmo tempo mais agilidade nas ações da agência. “O novo espaço centraliza e democratiza o acesso à todas as ações da Agecopa, que poderão ser acompanhadas pela comunidade”, afirma. Na nova sede será implantada, a pedido do governador Silval Barbosa, a Sala de Situação, uma inovação que permitirá a visualização e o acesso a informações sobre todos os projetos em andamento, o que garante absoluta transparência e publicidade de todos os trabalhos.

A nova sede vai abrigar também o Grupo de Trabalho que cuidará das desapropriações para as obras de mobilidade urbana, coordenado pela Agecopa e formado por representantes da Auditoria Geral do Estado, Procuradoria Geral do Estado, Sinfra, Setecs, SAD e prefeituras de Cuiabá e Várzea Grande.

Continue Reading

Share Button

Governador Silval Barbosa se reúne com diretoria da Agecopa e visita locais de obras

O governador Silval Barbosa está, nesta segunda-feira (10.01), na nova sede da Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Pantanal 2014 (Agecopa), no bairro Goiabeiras, onde realiza com a direção do órgão a primeira reunião de trabalho deliberativa de agenda de execução das obras estruturantes da Copa 2014, em Cuiabá.

A preocupação do governo é quanto a questão das obras de mobilidade urbana em Cuiabá e Várzea Grande, principalmente aquelas que exigem desapropriação de áreas na região central.

Participam da reunião pela Agecopa o diretor presidente e de Planejamento e Gestão, Yênes Jesus de Magalhães; o diretor de Orçamento e Finanças, Jefferson Carlos de Castro; o diretor de Infraestrutura, Carlos Brito; diretor de Assuntos Estratégicos, Yuri Bastos Jorge; diretor de Articulação Interinstitucional, Agripino Bonilha Filho.

Continue Reading

Share Button

Representante da Fifa elogia trabalho desenvolvido na área de segurança para a Copa 2014

Mato Grosso é mais uma vez referencial positivo na organização da Copa do Mundo 2014. Agora, no quesito segurança. O gerente Geral de Segurança do Comitê Organizador da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014, Hilário Medeiros visita Cuiabá para conhecer a matriz estrutural elaborada para o segmento segurança. O gerente esteve reunido com o governador Silval Barbosa nesta sexta-feira (10.12) quando se manifestou positivamente em relação ao trabalho já elaborado.

“Mais uma vez Cuiabá é a primeira capital a receber a visita de um setor específico da Fifa, agora no caso da segurança. Hilário Medeiros veio conhecer na Agecopa a matriz estrutural elaborada para o segmento de segurança e gostou do que viu”, afirma o diretor de Infraestrutura da Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo Pantanal – FIFA 2014 (Agecopa), Carlos Brito.

O gerente Geral de Segurança também visitou as corporações, esteve na Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e constatou que “este trabalho está sendo feito de maneira integrada e real”, conforme Brito. Segundo ele, o que chamou a atenção foi o entrosamento entre os órgãos envolvidos, Agecopa, Secretaria e corporações, dentro das diretrizes da Fifa. “É isso que ele veio conhecer. Conhecer a realidade sem maquiagem, nossas potencialidades e nossas dificuldades”, disse.

Continue Reading

Share Button

Governador Silval Barbosa visita Agecopa e define prioridades de obras de mobilidade urbana

Dando continuidade à agenda de visitas as secretarias e órgãos da administração pública estadual, iniciada com visita à Secretaria de Estado de Saúde (SES), o governador Silval Barbosa esteve nesta quinta-feira (02.12) na Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo do Pantanal Fifa 2014 (Agecopa). A inspenção ao canteiro de obras da futura Arena Multiuso Pantanal foi cancelada devido às chuvas da noite anterior. A visita foi ampliada com uma reunião de trabalho com toda a diretoria da Agecopa para definição das ações que deverão ser implementadas, principalmente na questão das obras de mobilidade urbana, em Cuiabá e Várzea Grande.

O governador Silval Barbosa disse que vem acompanhando tudo que se relaciona a Copa 2014, desde a elaboração dos projetos, e a discussão agora é quanto às ações concretas que deverão ser começadas. “Quais as prioridades, por onde começar? Isso é que viemos discutir”, disse. Como exemplo citou o Viaduto no Santa Rosa, que vai precisar interditar boa parte da passagem para esse bairro. O primeiro passo são as obras de desbloqueios, para poder dar inicio às obras definitivas. “Só aí serão mais de 20 obras, sendo que algumas já estão licitadas e outras ainda a licitar, que são os projetos de execução.”

Silval Barbosa disse ainda que foi debatida a forma que “vai-se proceder para envolver dos demais poderes, o Tribunal de Justiça, a Assembleia Legislativa de Mato Grosso e o Ministério Público para ajudar e não deixar acontecer atrasos”. Assim como também foi tratada a questão das desapropriações das áreas que serão atingidas pelas obras de mobilidade urbana e para tal foi definido que vai se criar uma comissão com participação de todas as secretarias de Estado envolvidas com a Copa 2014, além da Agecopa. Quanto aos recursos, Silval Barbosa garantiu que vai se fazer um esforço conjunto para viabilizar as verbas que estão sendo destinadas dentro do orçamento da União.

O presidente interino da Agecopa, Yênes Magalhães, disse que a reunião com o governador foi extremamente importante para a Agecopa. “Essa visita só vem reforçar aquilo que ele já disse, que queria estar mais próximo da gestão da Copa 2014”. Yênes disse que está aguardando as definições do DNIT. Segundo ele, a partir dessas definições vai se colocar uma escala de prioridade – quais as obras mais importantes e prioritárias. “Vamos mostrar ao governador, para que ele possa ter mais segurança, e a partir daí comunicar a população, para que ela tome conhecido e saiba que tudo que estará sendo feito de uma forma bem pensada para trazer o menor transtorno possível.

O secretário Chefe da Casa Civil, Eder Moraes, disse que as visitas às secretarias de Estados, autarquias e empresas vão continuar. “Elas tem o objetivo de conhecer o perfil dos servidores que estão na linha de frente e buscar, cada vez mais, um afunilamento com o plano de governo”.

Fonte: Secom/MT

Share Button

Meus caros elefantes

A construção do novo Verdão reavivou a lembrança dos chamados “elefantes brancos”. Para muitos o monumental estádio será um desses paquidermes fabulosos. Alguns movidos por uma justa preocupação com o dinheiro público, outros, geralmente de fora, por ainda não terem deglutido a vitória de Cuiabá como sede da Copa do Pantanal e muitos locais, apenas dando vazão a um renitente complexo de capacho que nos acompanha ou ao espírito “seca-pimenteira” que ainda assola boa parte da população. Os “seca-pimenteira”, que dominaram a torcida de um ex-time local, enxergam a realidade pelo lado negativo e jogam sempre na aposta mais fácil das coisas não darem certo. Conta a lenda que para reconhecer um deles basta aproximá-los de um pé de pimenta.

Continue Reading

Share Button

Diretoria da Agecopa se reúne em colegiado depois que Sachetti entregou a presidência

(por Eduardo Ricci) Considerando a renúncia de Adilton Sachetti do cargo de Diretor Presidente da Agecopa, comunicada oficialmente nesta quarta-feira (13/10) ao governador Silval Barbosa, a Diretoria da Agecopa informa que seguirá os trâmites previstos na Lei Complementar 365/2009 que criou a Agência, além das disposições constantes em seu Regimento Interno.

Continue Reading

Share Button

Projeto da Arena Pantanal é um dos três primeiros aprovados pelo BNDES ProCopa

A Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo Pantanal – FIFA 2014 (Agecopa) tem o seu projeto de construção da Arena Pantanal pelo BNDES ProCopa Arenas, programa do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES) para financiar a construção ou reforma dos estádios da Copa 2014. Mato Grosso sai na frente, junto com os estados da Bahia e Ceará – os primeiros a terem os projetos aprovados – e vai receber R$ 393 milhões de empréstimo, que corresponde a 74% do investimento total. A informação é da assessoria do BNDES.

Continue Reading

Share Button

Projeto da Arena Pantanal é um dos três primeiros aprovados pelo BNDES ProCopa

A Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo Pantanal – FIFA 2014 (Agecopa) tem o seu projeto de construção da Arena Pantanal pelo BNDES ProCopa Arenas, programa do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES) para financiar a construção ou reforma dos estádios da Copa 2014. Mato Grosso sai na frente, junto com os estados da Bahia e Ceará – os primeiros a terem os projetos aprovados – e vai receber R$ 393 milhões de empréstimo, que corresponde a 74% do investimento total. A informação é da assessoria do BNDES.

A Arena Pantanal terá capacidade para 42 mil espectadores, o que o credencia como sede em potencial para jogos de quartas de final do torneio (as normas da FIFA exigem um mínimo de 40 mil lugares). A construção seguirá o mesmo conceito de estádios flexíveis que foi utilizado nos projetos da Arena Olímpica de Basquete e do Estádio Olímpico de Londres, empreendimentos construídos para as Olimpíadas de 2012.

Dessa forma, parte das arquibancadas poderá ser removida ao final da Copa e reinstalada em outros empreendimentos. Passada a competição, a capacidade da Arena poderá ser reduzida para 27 mil espectadores, possibilitando diminuição dos custos de manutenção do equipamento.

Também contribuirão nesse sentido alguns aspectos do projeto relacionados à sustentabilidade, tais como a adoção de padrões de eficiência energética e a captação e reuso de água das chuvas, medidas que devem gerar, respectivamente, economia mínima de 10% e 20%.

Continue Reading

Share Button

Agecopa mostra experiência de Mato Grosso em evento sobre Estádios em São Paulo

A diretoria da Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo Pantanal – FIFA 2014 (Agecopa) vai participar nesta sexta-feira (27.08), em São Paulo, do painel “Estádios da Copa: o Concreto no Mundial de 2014”, que acontece dentro da agenda de seminários do Concrete Show 2010, quando serão debatidas alternativas para o estádio paulista.

Vão estar presentes os arquitetos Sérgio Coelho, da GCP Arquitetos, autor do projeto da Arena Multiuso Pantanal, e Marc Duwe, da Setepla Tecnometal, responsável pela reconstrução do Fonte Nova (BA).

Continue Reading

Share Button

Mato Grosso vai investir em infraestrutura turística e viabilizar linhas de créditos para rede hoteleira

Mato Grosso vai estar apto para receber e hospedar os turistas que virão para assistir a Copa do Pantanal em 2014 em Cuiabá. No que depender do Governo do Estado e da Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo Pantanal – FIFA 2014 (Agecopa) o Aeroporto Marechal Rondon e a rede hoteleira vão estar de acordo com as exigências da FIFA para a realização já da Copa das Confederações.

Continue Reading

Share Button

Mato Grosso vai investir em infraestrutura turística e viabilizar linhas de créditos para rede hoteleira

Mato Grosso vai estar apto para receber e hospedar os turistas que virão para assistir a Copa do Pantanal em 2014 em Cuiabá. No que depender do Governo do Estado e da Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo Pantanal – FIFA 2014 (Agecopa) o Aeroporto Marechal Rondon e a rede hoteleira vão estar de acordo com as exigências da FIFA para a realização já da Copa das Confederações.

“Cuiabá não é uma das sedes da Copa das Confederações”, avisa o diretor de Assuntos Estratégicos, Yuri Bastos Jorge, “mas queremos estar prontos para nos qualificarmos para receber também esse evento”.

A falta de leitos na rede hoteleira não é um caso isolado de Cuiabá. Todas as cidades sedes da Copa do Mundo estão enfrentando a mesma realidade, segundo o Yuri Bastos Jorge. Tanto é que o Governo Federal já colocou a disposição, através do BNDES, R$ 1 bilhão para o setor hoteleiro usar na construção de novos hotéis, compra, reforma de bares, restaurantes e pousadas; o Fundo Constitucional de Financiamento do Centro Oeste (FCO) já tem a disposição quase R$ 500 milhões também para o setor hoteleiro. E está criando alguns alternativas de fomento do setor privado, mesmo porque não cabe ao poder público fazer investimento na construção de hotéis.

“O que Estado pode fazer é viabilizar linhas de créditos para investimentos e investir na infraestrutura de turismo”. O governo de Mato Grosso, através do Prodetur, já conseguiu a autorização para investir R$ 350 milhões em infraestrutura turística para que o trade turístico se sinta confortável em investir em bares, restaurantes, hotéis e pousadas.

O diretor de Assuntos Estratégicos da Agecopa, diz que o crescimento econômico de Mato Grosso, que gira em torno de 10% ao ano, já seria suficiente para atrair novos investimentos, como aconteceu recentemente com a compra do Hotel Odara pelo BHG S.A. – Brazil Hospitality Group, que passou a usar a marca Golden Tulip Pantanal. Ainda assim, a Agecopa está fazendo um estudo de viabilidade econômica para mostrar aos empresários do setor que “investir em hotel em Mato Grosso é um bom negócio”.

Continue Reading

Share Button