Tag: Eduardo Mahon

Cultura banguela, por Eduardo Mahon

Por Eduardo Mahon | Cuiabá, 300 anos. Caiu a livraria Pepe dos Siqueira Hugueney. Crônica de um desabamento anunciado. Antes, foi a Casa de Bem Bem dos Figueiredo e Palma. Antes, foram tantas outras. Uma a uma, vão desfalecendo nas chuvas. O que acontece? Os donos de imóveis não gostam deles? Há uma conspiração contra o patrimônio histórico tricentenário? A

Share Button
Continue lendo

Eduardo Mahon: É Para Já, Governador!

É PARA JÁ, GOVERNADOR! (E.M) Ao articulista ainda não é dado o dom da infalibilidade. Que se saiba, só o Papa é infalível. Claro, essa é a opinião da Igreja, pelo Concílio Vaticano I. Eu que não sou cardeal, não confio tanto assim. Por outro lado, dizem que as cartas não mentem jamais e essa é outra mentira. Tarô, runas,

Share Button
Continue lendo

Molecagem contra Cuiabá, por Eduardo Mahon

O governador-candidato Taques, até o momento da campanha, não havia repassado os 82 milhões de reais para equipar o Pronto Socorro. Esperou a derrota nas urnas para inviabilizar o governo seguinte, qual seja, o do adversário Mauro Mendes. Este, na segunda quinzena de dezembro, no apagar das luzes do governo derrotado, barra na Justiça o repasse os valores em 30 parcelas de 2.7 milhões de reais. Pedro Taques saiu sem pagar o 13º salário do funcionalismo público mato-grossense e, num gesto de tresloucada irresponsabilidade, queria comprometer o orçamento do próximo governo que já está sobrecarregado com outros compromissos, somando mais de 500 milhões por mês apenas com a folha.

Share Button
Continue lendo

Escritores contemporâneos em diálogo, por  Olga Maria Castrillon Mendes

Por Olga Maria Castrillon Mendes | Estamos diante de um fenômeno editorial em Mato Grosso, cuja festa maior se dará no próximo dia 10 de dezembro, às 19:30, na Casa Barão de Melgaço. Afinal de contas, teremos duas coleções de textos de escritores contemporâneos. A Coleção Olho d’água traz os poetas Ronaldo de Castro, Silva Freire, Santiago Villela Marques, Marília Beatriz Figueiredo

Share Button
Continue lendo

Quando o tradicional se torna velho, por Eduardo Mahon

Por Eduardo Mahon | Todo mundo já sente na pele o que é a pós-modernidade, mesmo sem saber direito o que ela é, mesmo sem saber exatamente quando começou. Esse tempo pós-moderno é um período de mesclagem, de hibridismo, de incerteza, por um lado, e de acesso facilitado às informações, por outro. Provavelmente por isso mesmo, a ansiedade contemporânea cresça ainda

Share Button
Continue lendo

A inédita Luciene Carvalho de Sempre, por Eduardo Mahon

 A INÉDITA LUCIENE CARVALHO DE SEMPRE (E.M) Já tive oportunidade de comentar sobre o novo ângulo que Luciene Carvalho deu ao que, até então, chamava-se “cuiabania” ou, como querem outros, “cuiabanidade”. Nos primeiros livros, a autora fez questão de desterritorializar a ação do centro para a periferia, descrevendo “tipos” que são diferentes dos consolidados no imaginário coletivo. É no Porto

Share Button
Continue lendo

Das páginas do facebook: As valiosas Bugigangas de Divanize Carbonieri

AS VALIOSAS BUGIGANGAS DE DIVANIZE CARBONIERI Por Eduardo Mahon | Em qualquer inventário, sobretudo o literário, importa tanto saber o que está arrolado, quanto o que está esquecido. É que o que o autor não diz pode ser mais importante do que a própria escrita. Esse tipo de arrolamento é prazeroso em autores que escondem propositalmente a intenção, ou ainda,

Share Button
Continue lendo

Eduardo Mahon: A literatura sem pedágios de Luciene Carvalho

CUIABÁ DO AGORA – Eduardo Mahon A literatura sem pedágios de Luciene Carvalho Na resenha anterior, pretendi mostrar como a terra influencia a literatura em seus diversos momentos históricos, mais especificamente fenômenos ligados à Cuiabá e suas transições no tempo e espaço. Tracei um paralelo entre o cânone “aquiniano” que pretendia idealizar a imagem mato-grossense e cuiabana como uma espécie

Share Button
Continue lendo

“Estamos no Estado que apresenta os maiores índices brasileiros de violência contra a mulher, uma tragédia sob todos os aspectos”, diz Eduardo Mahon

Ensinar a não bater (E.M) A deputada Janaína Riva apresentou um projeto para ensinar nas escolas métodos de prevenção à violência contra a mulher. Foi o suficiente para que uma artilharia pesada fosse disparada nos grupos de discussão: a escola precisa ensinar matemática – é o melhor argumento. Os mais criativos dizem que a escola contemporânea precisa ensinar ao aluno

Share Button
Continue lendo

Marli Walker: um novo marco literário em Mato Grosso

Considero “Pó de Serra” e “Apesar do Amor”, de Marli Walker, um marco para a literatura mato-grossense. Walker inaugura a visão realista sobre o desbravamento das terras nativas, fazendo uma contraposição evidente com o idealismo típico dos primeiros autores. Não sei realmente se os críticos Mário César Silva Leite e Marta Cocco estão corretos em afirmar ter havido um projeto

Share Button
Continue lendo

Rubenio Marcelo lança em Campo Grande livro de crítica cultural que também contempla autores de MT

Da Redação | O lançamento do livro “Palavras em Plenitude – prosa e crítica cultural”, a 12ª publicação autoral do escritor Rubenio Marcelo, será na próxima terça-feira, 22, a partir das 19h30, em Campo Grande (MS). O evento será no auditório da Academia Sul-Mato-Grossense, que se situa na Rua 14 de Julho nº 4653, altos do São Francisco, na Capital Morena. Em seguida, o

Share Button
Continue lendo

O Mundo Binário de Eduardo Mahon – por Ana Lúcia Rabecchi

Por Ana Lúcia G. S. Rabecchi | As histórias de Eduardo Mahon, além de serem nutridas pela experiência de leitura que reconhecemos num grande repertório, elas oferecem e tiram a ilusão de compreensão. O romance O homem binário e outras memórias da senhora Bertha Kowalski é uma alegoria das atitudes que o homem toma, ou se entrega, diante da perspectiva da morte,

Share Button
Continue lendo

UFMT: além e aquém de si mesma – Por Eduardo Mahon

Por Eduardo Mahon | Alguém se lembra que, todos os meses, a Faculdade de Economia da UFMT era consultada para explicar a variação inflacionária? Que, em todas as grandes obras do Estado, a Faculdade de Engenharia Civil da UFMT era consultada para dar parecer? Alguém se lembra que, em todos as grandes questões ambientais, as Faculdades de Engenharia Florestal e Biologia

Share Button
Continue lendo

Eduardo Mahon: O político é um homem público que tem obrigação de ser simpático, de atender bem, de ser educado e atencioso, de mostrar-se solícito e sensível aos problemas dos outros

O personalismo político é tão atraente como repulsivo. No início, costumamos apostar na figura do herói, do salvador, do xerife, quando não nas três imagens unidas numa única pessoa, como no caso do atual Governador Pedro Taques. Era bastante simples a opção de voto, após a passagem da nuvem de gafanhotos que devastou Mato Grosso. Eu mesmo cheguei a lançar

Share Button
Continue lendo

Eduardo Mahon faz a primeira noite de autógrafos da maratona de lançamentos de O Homem Binário em Santo Antônio de Leverger

Por João Bosquo | O lançamento do livro “O Homem Binário e Outras Memórias da Senhora Bertha Kowalski” e a apresentação do livro “Alegria”, ambos os dois romances do escritor Eduardo Mahon, na noite desta quinta-feira, primeiro de março, no município de Santo Antônio de Leverger, marca o início do ciclo de lançamentos e noite de autógrafos por diversas cidades de

Share Button
Continue lendo

Quem aqui é preconceituoso?, pergunta Eduardo Mahon em sua página no Facebook

QUEM AQUI É PRECONCEITUOSO? Não, não é porque ela é negra. Nem tampouco porque foi favelada. Nem muito menos porque canta funk. Nem ainda porque representa um gueto social que é a periferia da zona norte carioca. Não, não é por isso que eu não gosto de Jojo Todynho. Billie Holiday era negra, marginalizada, viciada e maravilhosa. Idem para uma

Share Button
Continue lendo

Um Doce Marido – Um conto de Eduardo Mahon

Antônio Carlos sentiu a pele grudar-se ao lençol macio de tão novo. No início, maldisse a mulher que tinha mania de tomar sorvete na cama. Por ela, fariam as refeições no quarto, do café da manhã ao jantar. É romântico – justificava-se. Não para Antônio Carlos, no entanto. Do signo de capricórnio, o homem era um perfeccionista. Não suportava os

Share Button
Continue lendo

Teatro de Mato Grosso nunca mais será o mesmo sem Luiz Carlos Ribeiro

Morte do mítico ator de Rio Abaixo, Rio Acima, de Gloria Albuês, está sendo chorada por seus amigos, colegas e admiradores Por João Bosquo | Luiz Carlos Ribeiro não está mais em carne e osso entre nós, no entanto permanece, pois permanecer é a sina de todo grande artista, na memória coletiva de sua gente de seus amigos, afetos e –

Share Button
Continue lendo

Kleber Lima em seu primeiro contato com artistas e produtores culturais promete abrir as portas da SEC

Por João Bosquo | A primeira impressão é a que fica. A revisão, mais tarde, pode até mudar alguns pontos de vista, mas não todos, vamos combinar assim. O primeiro encontro do futuro secretário de Estado de Cultura, Kleber Lima, com parte da comunidade cultural, intelectual, pensante e discursiva em suas mais diferentes áreas – artes, audiovisual, literatura, enfim, e

Share Button
Continue lendo

Governador Pedro Taques aceita pedido e exonera Leandro Carvalho, um dia depois de Eduardo Mahon renunciar ao posto de membro do Conselho Estadual de Cultura

Por João Bosquo | Um dia, ou menos que um dia, depois de Eduardo Mahon renunciar ao seu mandato de membro do Conselho Estadual de Cultura (CEC) e denunciar resistência do presidente em realizar a eleição para o cargo de vice-presidente do CEC, o governo de Mato Grosso anuncia a exoneração do secretário de Cultura, maestro Leandro Carvalho. Uma das

Share Button
Continue lendo

Eduardo Mahon não concorda com as mudanças “ilegais” para escolha de vice-presidente do Conselho Estadual de Cultura e renuncia ao cargo de conselheiro

Por João Bosquo | O escritor, poeta, membro da Academia Mato-grossense de Letras, jurista e polemista Eduardo Mahon renunciou ao posto de membro do Conselho Estadual de Cultura (CEC) para o qual foi eleito no último pleito. A carta de renúncia foi encaminhada por meio eletrônico ao presidente do conselho, secretário de Estado de Cultura Leandro Carvalho. Na correspondência Eduardo Mahon

Share Button
Continue lendo

Posse de novos membros do IHGMT é marcada pelo bom humor e emoção

Os novos membros assumiram o compromisso de cooperar com a instituição e dinamizar suas ações Por João Bosquo | A posse dos seis novos membros do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso (IHGMT) foi na manhã deste sábado, 16, na Casa Barão de Melgaço. O público – surpreendente pelo horário -, formado por convidados e familiares dos homenageados, prestigiou

Share Button
Continue lendo

Sarau Literário em Santo Antônio de Leverger reúne poetas vivos

O evento aconteceu na última quinta-feira, 7, no Centro Comunitário da Igreja Matriz, uma promoção da E.E. Faustino Amorim, com coordenação da professora Kelly Carvalho Por João Bosquo | O sarau literário-musical “Com a Palavra” em Santo Antônio de Leverger, na última quinta-feira, 07, realizando no salão paroquial da Igreja Matriz abriu com a belíssima apresentação do Coral Arte Cidadã, uma

Share Button
Continue lendo

Eduardo Mahon faz picadinho de Ives Gandra Martins que se diz discriminado e não sabe como viver no país, pois não é negro, homossexual, índio, assaltante, guerrilheiro e nem invasor de terras, esquecendo-se apenas de dizer que é rico

A difícil vida do branco, hetero e rico O Ives Gandra não é negro, nem homossexual, nem índio, nem sem-terra e pergunta como vai fazer para viver no Brasil nos dias atuais. Alega o renomado tributarista que, de certo modo, virou minoria. Por um momento, fiquei com pena de Ives Gandra. Ele, coitado, é mesmo franca minoria em nosso país.

Share Button
Continue lendo

Governo Pedro Taques quita pendências do Circula MT nas áreas de música e teatro depois de Leandro Carvalho ser detonado nas redes sociais

Da Assessoria | O governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), quitou as pendências do edital Circula MT das áreas de Música e Teatro. Os recursos foram repassados nesta quinta-feira (09), totalizando R$ 1,2 milhão de investimento. Em outubro a SEC-MT já havia repassado recursos aos quatro primeiros projetos do Circula Música, seguindo ordem alfabética

Share Button
Continue lendo

Espelho Cansado – por Eduardo Mahon

ESPELHO CANSADO Aloísio saiu de casa logo cedo. Era um sábado que se emendava ao feriado. Pegou as chaves, deu partida no carro e seguiu para o centro da cidade. Quero um espelho – pediu ao vendedor. Não estava em uma vidraçaria, como recomendou a mulher, e sim num pregão de usados. O sujeito voltou-se para o interior e, de

Share Button
Continue lendo

O Velho Palacete – Por Eduardo Mahon

Por Eduardo Mahon | Ninguém diria que o palácio nasceu do mesmo tamanho que todos os demais casarões na rua de terra batida. Contudo, a despeito do que ignorem os meninos que estudam arquitetura contemporânea, esses mesmos que acham que o aço, o vidro e o concreto aparente constituem o catecismo do futuro, naquela rua algum dia estiveram alinhados casarões da

Share Button
Continue lendo

Literamato uma festa para o livro mato-grossense

O evento conta com participação de literatos e escritores locais e palestrantes de outros estados A Literamato (Festa de Literatura de Mato Grosso) que começa no próximo dia 19, quinta-feira, e irá até o domingo, 22, no Centro de Eventos Pantanal – só pra provocar – não é nenhuma Literamérica. Mas, sem dúvida nenhuma, será um grande evento, talvez o

Share Button
Continue lendo

O Incomensurável nada – por Eduardo Mahon

O INCOMENSURÁVEL NADA (E.M) Ao cabo de uma pia de louça suja, a mulher olha para o nada, como uma coruja que acaba de acordar ao final da tarde e ainda não se decidiu sobre a própria fome, como uma duna de areia que não tem certeza exatamente do próprio tamanho ao ser inchada e ressecada a cada tempestade de

Share Button
Continue lendo

Parindo o Contemporâneo – Por Eduardo Mahon

Por Eduardo Mahon | O Grupo ECCO da Universidade Federal de Mato Grosso pariu mais um trabalho acadêmico que faz jus à interdisciplinaridade a que o grupo de estudos contemporâneos se presta. A mestranda Raquel Mützenberg apresentou sua dissertação, acolhida por plateia lotada. Basicamente, os estudos (e práticas) da expositora dão conta da ressignificação do corpo no contemporâneo teatro de bonecos,

Share Button
Continue lendo