Viviene Lozi, em sua página no Facebook, se diz cansada

Tudo isso está me cansando: 1º expo. Santander; 2º Homossexualidade é doença; e 3º Falta de entendimento para ler uma obra de arte.

A perversão está na cabeça de quem protesta sem entender a mensagem que está por trás da obra de arte do artista Gervane de Paula que faz uma crítica feroz e real a situação degradante que vivem os usuários de crack, que é um problema PÚBLICO e de SAÚDE. Não deixe de visitar a exposição no “Pantanal Shopping” que reúne grandes nomes de artistas mato-grossenses como Adir Sodre SouzaVitória Basaia CarvalhoBenedito Luiz NunesDalva De Barros, Jonas Barros, Gervane de Paula, Carlos Lopes, Ruth Albernaz Silveira e conta com a curadoria de João Manteufel.

O vídeo gravado deveria estar fazendo um serviço social e não um desserviço.

Critique: A falta de Políticas públicas para essa área que deveria seguir o princípio da redução de danos e focar seus esforços na relação que o usuário tem com a droga;

Critique: A degradação social que ela gera e que está sendo mostrada na obra do artista;

Critique: As crianças portadoras do HIV que foram contaminadas por suas mães usuárias e não fazem pré-natal, o que poderia impedir a criança de contrair o vírus. Nascem viciadas, com crises de abstinências, compulsão à droga, tremores, calafrios e problemas físicos diversos, principalmente lesões no cérebro. O surgimento de uma nova geração de vítimas do crack não por vontade própria.

Critique: A exclusão social do usuário de Crack. Ele é temido socialmente, a partir do momento que causa um incômodo, as pessoas não querem vê-lo perambulando pelas cidades e os escondem debaixo do tapete.

Critique: Que o Crack é uma doença e não um desvio de caráter, e o crack não mata por si só, está associado a doenças secundárias, tais como tuberculose, aids, pneumonia, câncer de boca e outros.

Critique: Que a recuperação de um usuário de Crak é bem árdua, tanto pela dependência física e quanto pela psíquica.

Critique: Que não temos no Estado de MT lugares para recebem dependentes menores de 18 anos;

Critique: Que o “crack” é a verdadeira “desgraça” humana são indissociáveis e quase palavras sinônimas.

Critique: Que o crack traz a morte em vida do seu usuário, arruína a vida dos seus familiares e vai deixando rastros de lágrimas, sangue e crimes de toda espécie na sua trajetória maligna.

Critique: A ignorância para ler uma obra de arte, pois a população vive numa zona de conforto, senso comum e alienação. Quando não vê o belo em uma obra artística (o feio por detrás que incomoda os olhares) que está carregado de crítica social. Reflita, questione, pergunte, entenda, leia as placas de faixa etaria indicativa, peça ajuda de um mediador da exposição, converse com o artista e curador, antes de sair metralhando algo que simplesmente não entendeu.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

O quadro que o consumidor do Shopping Goiabeiras não entendeu, por ignorância

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado

Share Button

Corrupção Socialmente Responsável – Por Eduardo Mahon

Por Eduardo Mahon | A corrupção brasileira é a mais improdutiva, predatória e concentradora que se tem notícia. É preciso educar os corruptos para a responsabilidade social da corrupção. Um corrupto responsável gera empregos, é ambientalmente equilibrado, não gasta com excentricidades e se envolve em projetos de corrupção solidária. O corrupto precisa se qualificar para multiplicar conhecimento. Isso significa que deve fazer cursos de como roubar mais e melhor, aumentando a eficiência do roubo ao erário. O peculato, seja de que natureza for, deve ser sustentável. A Organização Mundial de Corrupção – OMC – aponta que o Brasil é um dos maiores emissores de dinheiro sujo do planeta. As autoridades já se comprometeram a lavar o dinheiro antes de enviar aos paraísos fiscais de Bahamas, Panamá, entre outros lugares que não podem suportar a poluição irresponsável da corrupção brasileira. Do meu ponto de vista, essas providências não bastam. É necessário atacar o problema na educação. Ensinar a escrever corrupção com ç, triplex com x, chácara com ch, fazem parte do básico. Um corrupto socialmente responsável é aquele que patrocina a capacitação profissional das novas gerações, transmitindo aos corruptos carentes o conhecimento de desvios de verba, superfaturamento em licitações e encobrimento de crimes por meio de uma rede de propina às autoridades fiscalizadoras. Os índices brasileiros de corrupção são alarmantes. Há muito corrupto mal preparado. A tabela dos pesquisadores da CPT – Corruptos para Todos – aponta o mau gosto crônico do meliante nacional. A Rolex indicou aumento de 15% na compra de relógios de ouro da marca, assim como o surpreendente aumento de 23% no consumo de ternos Ermenegildo Zegna pelos “novos corruptos”, aqueles cuja corrupção já superou a barreira de 1 milhão de reais na conta. A análise do Instituto Corruptos sem Fronteiras aponta para um dado preocupante: a grande maioria dos corruptos nacionais preferem a caminhonete Land Rover a diesel que polui o meio ambiente. Lanchas, carros, fazendas, pinga de má qualidade e charutos cubanos são investimentos que não são considerados uma corrupção sadia e, portanto, concentram os recursos surrupiadas em mãos de poucas pessoas. A Fundação Corrupção Transparente indica um caminho para o desenvolvimento de um modelo mais igualitário e distributivo na corrupção brasileira: a administração pública, autarquias, fundações, empresas em geral devem reservar parte do orçamento para promover uma bolsa-corrupto, distribuindo o peculato com corruptos desassistidos que não tem condições de comprar ouro, abrir contas em Luxemburgo ou lavar dinheiro na aquisição de fazendas e gado subfaturado. Além do mais, as licitações públicas reservarão quotas para corruptos com necessidades especiais. O suporte à popularização da corrupção não deve se limitar ao incentivo à alta e média corrupção. Para os corruptos em estado de vulnerabilidade, o Estado deve, além das bolsas Chanel e Hermés, patrocinar cursos rápidos de emissão de notas frias, viagens aos paraísos fiscais, entre outras medidas de educação para a corrupção. Além das medidas, todos os poderes devem colaborar com o esforço nacional em favor da corrupção. O Supremo Tribunal da Corrupção declarou ao Observatório da Corrupção que vai preparar juízes mais corruptos, elevando o nível das maracutaias conforme as instâncias, tabelando os preços de desembargadores e ministros, de modo a dar segurança jurídica na corrupção. A Ordem dos Corruptos do Brasil aceitou o desafio. Promoverá um amplo debate entre os profissionais a fim de que os associados roubem mais e melhor, escondam o patrimônio furtado e multipliquem o conhecimento de colaboração premiada, caso haja qualquer percalço não previsto. Até mesmo deputados e senadores entraram na campanha. Semana passada um grupo que se denominou Frente para a Corrupção Sustentável apresentou uma carta aberta para alterar a lei. Agora, a propina na liberação de emendas parlamentares será de, no máximo, 15%, um avanço na distribuição global de dinheiro ilícito. Além disso, os políticos estaduais prometem não usar pesticidas na plantação de laranjas de empresas que são beneficiadas por processos de chamamento público. Vereadores e prefeitos montaram uma “frentinha corrupta”, a fim de somar esforços para que sejam transparentes e zelosos com os peculatos da administração municipal. Somente assim, com o empenho de todos, teremos corruptos melhores, mais preparados e socialmente responsáveis, prontos para praticar uma corrupção sustentável, transparente e eficiente, tudo o que se espera do Brasil no futuro.

CORRUPÇÃO SOCIALMENTE RESPONSÁVEL (E.M)A corrupção brasileira é a mais improdutiva, predatória e concentradora que se…

Publicado por Eduardo Mahon em Segunda, 24 de julho de 2017

 

Share Button

Afrânio Silva Jardim, um dos maiores processualistas brasileiros, detona a sentença de Sérgio Moro em breve análise

O jurista Afrânio Silva Jardim, livre-docente em processo penal pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e tido como um dos maiores processualistas do Brasil, fez uma análise a respeito da condenação do ex-presidente Lula pelo juiz Sergio Moro, com base em sua sentença.

BREVE ANÁLISE DA SENTENÇA QUE CONDENOU O EX-PRESIDENTE LULA E OUTROS.A sentença do juiz Sérgio Moro é excessivamente…

Publicado por Afrânio Silva Jardim em Quarta-feira, 12 de julho de 2017

 

BREVE ANÁLISE DA SENTENÇA QUE CONDENOU O EX-PRESIDENTE LULA E OUTROS.
A sentença do juiz Sérgio Moro é excessivamente extensa (218 páginas), motivo pelo que vamos nos cingir à análise do centro da controvérsia processual. Vale dizer, da resolução ou julgamento do mérito da pretensão punitiva estatal. Mesmo assim, vamos nos ater à parte da sentença que condenou o ex-presidente Lula que, por óbvio, é a que mais interessa ao público em geral.
Ademais, o referido magistrado, após o tradicional relatório, se utiliza de inúmeras laudas de sua sentença para “se defender” das alegações de ilegalidades e abusos processuais feitas por alguns dos réus. Nesta parte da sentença, que vai até o seu item 152, o juiz Sérgio Moro refuta alegações relativas às conduções coercitivas, buscas e apreensões domiciliares, interceptações telefônicas, inclusive em telefones de advogados, publicidade de conversas particulares, etc. etc.
Do item 153 ao 169, o juiz afirma a competência da Justiça Federal, malgrado os ofendidos dos crimes sejam pessoas jurídicas de direito privado, não se enquadrando nas hipóteses constitucionais da competência da Justiça Federal, bem como o magistrado afirma a competência do juízo do qual é titular, em razão de alegada conexão.
Em relação a estas questões de competência, já nos manifestamos em texto publicado na nossa coluna do site Empório do Direito, discordando frontalmente do entendimento do juiz Sérgio Moro.
Nos itens 170 a 227, são enfrentadas questões processuais, como inépcia da denúncia e cerceamento de defesa de alguns dos réus. Também passaremos ao largo destas questões, até por que já publicamos texto, sustentando que a extensa denúncia do Ministério Público Federal carecia de boa técnica e mais parecia razões ou alegações finais, tornando difícil ao leitor ter clareza de quais imputações eram efetivamente feitas aos vários réus. Ademais, ao menos neste momento processual, estas questões se apresentam, de certa forma, superadas.
Não vamos aqui considerar também outras questões preliminares como a suspeição do magistrado e o valor probatório das chamadas “ delações premiadas”. Passamos então à questão central, qual seja, ter ou não o ex-presidente Lula praticado crimes.
Se bem entendida a confusa acusação, imputa-se ao réu Lula o crime de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Corrupção passiva porque, em razão de três contratos, lesivos à Petrobrás, a empreiteira OAS teria sido beneficiada indevidamente, motivo pelo qual teria doado um apartamento tríplex ao ex-presidente, parcialmente reformado. Lavagem de dinheiro porque o ex-presidente não realizou qualquer negócio jurídico hábil a transferir o referido imóvel ao seu patrimônio ( sic).
Vamos primeiramente à controvérsia relativa ao apartamento tríplex. Diz a acusação e o reconhece a sentença que o apartamento é do ex-presidente Lula e de sua falecida esposa, Dona Marisa. Isto não está provado e nada nos autos autoriza dizer que o réu Lula e sua esposa tiveram sequer a posse direta ou indireta do apartamento tríplex. Proprietário não é, pois, no direito brasileiro, só é proprietário quem tem a escritura pública registrada junto à matrícula do imóvel no RGI.
A toda evidência, visitas ao imóvel, solicitações de realização de obras nele, vontade de adquiri-lo, manifestada através de e-mails, reserva do bem para futura aquisição, manifestação verbal do real proprietário de destinar o imóvel a determinada pessoa, nada disso transfere uma propriedade imobiliária.
Note-se, ainda, que o imóvel ainda hoje consta no RGI em nome da OAS e esta empresa, como proprietária, teria dado o referido imóvel em garantia real de dívidas que contraiu no sistema financeiro. Além disso, se o imóvel fosse do casal, estaria elencado no inventário de Dona Marisa e partilhado entre seus herdeiros, respeitada a meação do ex-presidente Lula.
A fragilidade da acusação é tamanha que a sentença, fugindo do verbo ( conduta) previsto no tipo do artigo 317 do Código Penal, se utiliza das mais variadas expressões, senão vejamos:
1 – “ … CONCEDEU ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva o apartamento 164-A, tríplex, do Condomínio Jardim Solaris…” ( item 299 da sentença);
2 – “…foram encontrados diversos documentos relativos à AQUISIÇÃO do apartamento pelo ex-presidente…” (item 328);
3 – “…prova de que este imóvel estava RESERVADO pode ser encontrada em documentos da BANCOOP…” (item369);
4 – “…ainda, segundo a avaliação da testemunha Mariuza Aparecida da Silva Marques, Marisa Letícia Lula da Silva era TRATADA não como uma adquirente potencial do imóvel, mas uma pessoa para a qual ele já tinha sido DESTINADO…” (item 489);
5 – “…sendo ele POTENCIAL COMPRADOR …”( item 492);
6 – “…o apartamento 164-A foi reformado e que o ex-presidente e Marisa Letícia Lula da Silva TERIAM VISITADO o imóvel…” ( item 502);
7 – Enfim, várias testemunhas declaram que julgavam que o imóvel era de propriedade do ex-presidente Lula, mas não dizem de que forma ele teria adquirido tal propriedade.
Finalizando nossa análise desta parte da sentença relativa ao apartamento triplex, cabem os seguintes questionamentos:
1- A suposta aquisição do imóvel, que continua registrado em nome da OAS, caracterizaria UM CONCURSO FORMAL DE CRIMES, pois teríamos uma só conduta ou ação com dois resultados penalmente típicos, o que somente se admite para argumentar.
2- Como caracterizar lavagem de dinheiro sem dinheiro? O réu Lula não recebeu “propina” e com ela comprou o imóvel, colocando-o, dissimuladamente, em nome de terceiro. No caso, o imóvel é da OAS e continua em nome da OAS. Note-se que a OAS terá até embargos de terceiros, diante do confisco determinado pela sentença.
Por derradeiro, não há nenhuma prova de que o ex-presidente Lula tenha sido autor, coautor ou partícipe dos contratos lesivos à Petrobrás ou das ilicitudes realizadas nas respectivas concorrências.
O fato de o Presidente da República ter recomendado a nomeação de algum diretor ou gerente da Petrobrás não o torna partícipe dos crimes que estes, porventura, vierem a praticar em detrimento da empresa.
Nem mesmo a ciência da prática de um crime praticado ou que venha a ser praticado caracteriza a participação, segundo o nosso Direito Penal. Para a participação, neste caso, seria necessária uma conduta específica de auxílio ou instigação. No processo, pelo que se depreende da leitura da longa sentença, não há nenhuma prova de conduta do ex-presidente Lula que o torne partícipe da realização dos contratos ilícitos firmados pela Petrobrás e a OAS.
Note-se que, de qualquer forma, não há provas de qualquer conexão entre os contratos narrados na denúncia e a alegada vantagem indevida que teria sido outorgada ao réu Lula.
Em relação à pena, não nos parece pertinente a aplicação do parágrafo único do artigo 317 do CP, bem como a fixação das penas-base foi indevidamente elevada, tendo em vista os critérios previstos no artigo 59 do Código Penal.
SURREAL: Lula foi condenado por receber o que não recebeu e por lavagem de dinheiro que não lhe foi dado … Vale dizer, não teve o seu patrimônio acrescido sequer de um centavo !!! Não recebeu nenhum benefício patrimonial e por isso não tinha mesmo o que “lavar” …
Afranio Silva Jardim, professor associado de Direito Processual Penal da UERJ, mestre e livre-docente em Direito Processual Penal (UERJ). Procurador de Justiça (aposentado) do Ministério Público do E.RJ.

Share Button

Afrânio Silva Jardim, em sua página no FB diz que ‘não se cansa de criticar a discricionariedade no sistema de justiça criminal’

(Texto que acabei de redigir sobre as delações da JBS)AINDA NÃO ESTOU CANSADO DE CRITICAR A DISCRICIONARIEDADE NO…

Publicado por Afrânio Silva Jardim em Sábado, 20 de maio de 2017

Os irmãos Batista da empresa JBS criaram um “terremoto” no sistema político e financeiro em nosso país. Voltaram a fazer “fortuna” na bolsa de valores e viajaram calmamente para os Estados Unidos, com autorização dos órgãos persecutórios federais.

Fala-se que eles e outros executivos de sua empresa não serão punidos pela imensa corrupção que praticaram em todo o nosso território. Parece que, no acordo de cooperação premiada (delação premiada), combinaram com o Ministério Público Federal que não seriam sequer indiciados nos necessários e costumeiros inquéritos policiais … Continue Reading

Share Button

Professor Afrânio Silva Jardim, um dos maiores processualistas do Brasil, se diz indignado com o interrogatório do ex-presidente Lula em Curitiba

21 h · Afrânio Silva Jardim, professor da UERJ, considerado um dos maiores processualistas do país, ex-apoiador da Lava-Jato se diz indignado com o interrogatório submetido ao ex-presidente Lula e pede que retirem o artigo de Sérgio Moro do livro em sua homenagem “Tributo a Afrânio Jardim”, já na terceira edição
Por Afrânio Silva Jardim | Após assistir a toda audiência em que ocorreu o interrogatório do ex-presidente Lula, no dia de ontem, fiquei indignado com a forma pela qual o juiz Sérgio Moro conduziu este ato processual.

Por este motivo, solicito, de público, aos amigos Pierre Souto Maior Amorim e Marcelo Lessa, organizadores do livro “Tributo a Afranio Silva Jardim”, que diligenciem junto à Editora Juspodium no sentido de que não conste, na sua terceira edição, o trabalho do referido magistrado. A obra foi publicada, em minha homenagem, sendo composta por vários estudos de renomados juristas pátrios e estrangeiros.

Esta minha solicitação, além de ser motivada pelo inconformismo acima mencionado, tem como escopo evitar constrangimento ao próprio juiz Sérgio Moro, diante de críticas técnicas que venho fazendo a seu atuar processual. Ademais, alguns colaboradores da obra coletiva já se manifestaram desconfortáveis em figurar na companhia deste magistrado no aludido livro. Continue Reading

Share Button

De olhos bem fechados, de Kubrick, é atração no Cine Teatro Cuiabá

De olhos bem fechados, de Kubrick, é atração no Cine Teatro CuiabáNicole Kidman e Tom Cruise protagonizam último filme…

Publicado por Enock Cavalcanti em Terça, 2 de maio de 2017

Nicole Kidman e Tom Cruise protagonizam último filme do cineasta

Abalado com uma fantasia sexual da esposa, médico começa a vagar pelas ruas de Nova York numa noite de eventos inesperados nos quais o sexo e o perigo andam bem próximos em “De olhos bem fechados” (Eyes wide shut, Grã-Bretanha/EUA, 1999, 159 minutos), de Stanley Kubrick, atração dessa terça-feira, 3 de maio, às 19:00, no Cine Teatro Cuiabá. Entrada: R$4,00 (inteira) e R$2,00 (meia). Classificação indicativa: 18 anos.

O filme dá continuidade às atividades da Sessão Encontros com Cinema, projeto realizado pelo Cine Teatro Cuiabá em parceria com a Pró-reitoria de Cultura, Extensão & Vivência (PROCEV), Cineclube Coxiponés e Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal de Mato Grosso. Os participantes da Sessão Encontros com Cinema são estimulados a conhecer ou revisitar obras cinematográficas de cineastas prestigiados no circuito autoral e independente. Ao final de cada exibição, é estimulada a conversa sobre o filme entre os presentes. Continue Reading

Share Button

Wilson Santos, Cassandras e Tirésias

WILSON SANTOS, CASSANDRAS E TIRÉSIAS (E.M)Em 19 de outubro de 2016, a Comissão Parlamentar de Inquérito, presidida…

Publicado por Eduardo Mahon em Sexta, 28 de abril de 2017

 WILSON SANTOS, CASSANDRAS E TIRÉSIAS (E.M)

Em 19 de outubro de 2016, a Comissão Parlamentar de Inquérito, presidida pelo Dep. Oscar Bezerra entregou ao então Presidente da ALMT, Dep. Guilherme Maluf, um relatório dando conta do desvio de R$ 541 milhões das obras da Copa, na gestão de Silval Barbosa. A conclusão foi pelo indiciamento de 96 agentes públicos, 16 empresas privadas e 7 consórcios, incluindo o que é responsável pelo Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Pelo que foi apurado pela CPI, as empresas que atuaram no malsinado VLT deveriam devolver 316 milhões de reais aos cofres públicos. Essa foi a informação oficial, publicada no sítio da própria Assembleia Legislativa, por meio da assessora Priscila Mendes, da Assessoria de Comunicação. Continue Reading

Share Button

Mato Grosso no Fogo Cruzado?, pergunta Eduardo Mahon em seu perfil no Facebook

MATO GROSSO NO FOGO CRUZADO?Uma guerra foi declarada entre dois líderes, dois homens que representam o poder…

Publicado por Eduardo Mahon em Segunda, 24 de abril de 2017

Continue Reading

Share Button

O Testamento do Judas e eu – por Fátima Lessa

Fatima Lessa

5 h ·

 Amanheci com uma lembrança da Rua Formosa, no bairro Monte Castelo, em São Luís (MA) , onde fui, por um largo período, responsável pela elaboração do Testamento do Judas.

Foi no fim da infância e início da adolescência. Na época recebi como uma brincadeira.

O testamento é lido antes de malhar o boneco. O ‘nosso’ Judas era confeccionado pelo Careca, costureiro de mão cheia e “dono” do Judas. A filha dele fazia a maquiagem.

Foi dele que recebi o convite de ser a ‘autora’ do testamento. Continue Reading

Share Button

Grupo ECCO da Universidade Federal de Mato Grosso patrocina trabalhos de vanguarda

Hoje, o Grupo ECCO da Universidade Federal de Mato Grosso pariu mais um trabalho acadêmico que faz jus à…

Publicado por Eduardo Mahon em Segunda, 27 de março de 2017

Hoje, o Grupo ECCO da Universidade Federal de Mato Grosso pariu mais um trabalho acadêmico que faz jus à interdisciplinaridade a que o grupo de estudos contemporâneos se presta. A mestranda Raquel Mützenberg apresentou sua dissertação, acolhida por plateia lotada. Basicamente, os estudos (e práticas) da expositora dão conta da ressignificação do corpo no contemporâneo teatro de bonecos, num movimento duplo: se, por um lado, o ator sai dos bastidores para protagonizar, presentificando-se em cena, por outro, o boneco humaniza-se de modo inovador, colhendo do ator todo o arsenal cinético que não teria longe da integralidade do corpo. Forma-se um tertium genus, nem ator, nem boneco, mas uma soma que gera um novo personagem, uma nova forma de representar. O mestrado orientado pela Profa. Dra. Maria Tereza Azevedo avalia como contracenam no contemporâneo a realidade e o reflexo, o real e o imaginário, a presença física e a imaterial. Continue Reading

Share Button

O truque do Janot para implodir a candidatura do Lula – por Jeferson Miola

O truque do Janot para implodir a candidatura do LulaO que poderia ser celebrado como sinal de normalidade…

Publicado por Jeferson Miola em Quinta, 16 de março de 2017

O truque do Janot para implodir a candidatura do LulaO que poderia ser celebrado como sinal de normalidade institucional – os pedidos do Rodrigo Janot ao STF para abrir inquéritos das delações da Odebrecht – na realidade é apenas um truque do procurador-geral para [i] proteger o bloco golpista, em especial o PSDB; mas, sobretudo, para [ii] viabilizar a condenação rápida do Lula e, desse modo, impedir a candidatura do ex-presidente em 2018, isso se a eleição não for cancelada pelos golpistas.Janot seguiu f

Share Button

Eis que Leandro Karnal posta uma foto tomando um… – Luis Felipe Miguel

Eis que Leandro Karnal posta uma foto tomando um vinho com o "amigo juiz Sérgio Moro", a quem classifica de "gente…

Publicado por Luis Felipe Miguel em Sábado, 11 de março de 2017

Eis que Leandro Karnal posta uma foto tomando um vinho com o “amigo juiz Sérgio Moro”, a quem classifica de “gente inteligente”. Conclui: “Discutimos possibilidades de projetos em comum”.

Não há como justificar. Adaptando algo que disse Lolitchen Csrez, é como se, em pleno regime militar, um conhecido intelectual “de esquerda” confraternizasse com o delegado Fleury. Tá bom, são circunstâncias bem diferentes, Moro (até onde sabemos) não está arrancando as unhas de ninguém. Mas, num caso como no outro, são operadores principais e símbolos de escaladas repressivas, com a restrição a direitos e liberdades a quem fica do lado “errado” de uma divisão ideológica e política. Continue Reading

Share Button

A caminho de Cáceres – por Fabricio Carvalho

A caminho de Cáceres, onde iria participar da inauguração da sede própria do Sebrae na cidade, no bairro Jardim Celeste,…

Publicado por Fabricio Carvalho em Sábado, 4 de março de 2017

A caminho de Cáceres, onde iria participar da inauguração da sede própria do Sebrae na cidade, no bairro Jardim Celeste, estive pensando nas oportunidades de desenvolvimento e riqueza que aquela região oferece no contexto de Mato Grosso. São muitas, na verdade. E a maior delas, sem dúvida, atende pelo sugestivo nome de ZPE. Continue Reading

Share Button

Libertem o Dr. Faiad – Enock Cavalcanti

LIBERTEM O DR. FAIAD – Aqui em Mato Grosso, vejam que a juíza Selma não é capaz de dizer, com exatidão, onde trabalha o…

Publicado por Enock Cavalcanti em Quinta, 16 de fevereiro de 2017

Soltem o Dr. Faiad!

Meus amigos, meus inimigos: vejam que a juíza Selma Arruda mandou prender o advogado Francisco Faiad dizendo que, ao assumir o cargo de procurador-geral do município de Cuiabá, o Dr. Faiad pode colocar em risco os cofres da prefeitura.

A magistrada, que é uma loira, tão afoita em atender à ordem de prisão do Ministério Público, parece que não se preocupou em saber direito onde é que o Dr. Faiad trabalha e o que o Dr. Faiad anda fazendo.
Em tempos de Sérgio Moro, nossos magistrados danam a cometer essas trapalhadas e a gente fica achando que o País, e o nosso Mato Grosso, estão mesmo de pernas para o ar. Continue Reading

Share Button

À Beira de um ataques de nervos, por Eduardo Mahon

À BEIRA DE UM ATAQUE DE NERVOS (E.M)Qualquer governo precisa de apoio popular. Além do voto, um governo se sustenta…

Publicado por Eduardo Mahon em Sexta, 20 de janeiro de 2017

À BEIRA DE UM ATAQUE DE NERVOS (E.M)

Qualquer governo precisa de apoio popular. Além do voto, um governo se sustenta com base em vários segmentos: agronegócio, indústria, comércio, cultura, esporte, sindicatos e, claro, o suporte político que representa diretamente o eleitor. O governo Pedro Taques, mais do que qualquer outro, precisa de apoio. Isso, por algumas razões evidentes: não se trata de político tradicional com staff previamente montado, não conta com ramificação político-partidária em todo o Estado, sucedeu um governo desacreditado pelos escândalos que ultimaram prisões, bloqueios de bens e outras medidas inéditas contra ex-gestores, enfrenta a maior crise financeira de Mato Grosso, demandando enorme paciência dos servidores públicos. Ocorre que, para haver transformação verdadeira, um enorme esforço de consenso, de diálogo e, sobretudo, de humildade deve ser realizado. Continue Reading

Share Button

Sem alarde, o governo de Michel Temer e o… – André Forastieri

Sem alarde, o governo de Michel Temer e o Supremo Tribunal Federal iniciaram esta semana o maior ataque ao funcionalismo…

Publicado por André Forastieri em Quinta, 12 de janeiro de 2017

Sem alarde, o governo de Michel Temer e o Supremo Tribunal Federal iniciaram esta semana o maior ataque ao funcionalismo público que o Brasil já viu. À frente da operação está o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. A blitz continua na semana que vem, quando deve ser aprovado o acordo da União com o estado do Rio de Janeiro. Esse compromisso incluirá a redução da jornada de trabalho e dos salários dos funcionários públicos do Rio. Também está previsto o aumento da contribuição pr

Share Button

É Covardia Demais, Cruel e Desumana – Francisco Costa

É COVARDIA DEMAIS, CRUEL E DESUMANAOntem dei mais uma entevista na rádio, depois digitada e postada.Ficou longa, já…

Publicado por Francisco Costa em Domingo, 8 de janeiro de 2017

É COVARDIA DEMAIS, CRUEL E DESUMANA
Ontem dei mais uma entrevista na rádio, depois digitada e postada.
Ficou longa, já que falando o tempo transcorre muito mais rápido que lendo, mas aconselho aos companheiros que a leiam, não necessariamente porque eu seja o dono da verdade, mas porque há muita matéria para reflexão política e existencial.
O momento em que mais comovi os ouvintes, os entrevistadores e, pelos comentários na Net, os leitores, foi quando me referi a Lula, e transcrevo:
“Lula está velho, debilitado por um câncer que ainda é um fantasma para ele, caluniado de todas as maneiras, tendo que se defender, desviando energias da luta coletiva para a luta pessoal, assustado. Continue Reading

Share Button

Emanuel Pinheiro anuncia os últimos nomes da sua equipe pelo Facebook

Olá, amigos! Utilizo mais uma vez este espaço democrático das redes sociais para fazer o anúncio das pessoas que vão…

Publicado por Emanuel Pinheiro em Sexta, 30 de dezembro de 2016

Continue Reading

Share Button