Mais de 30 projetos culturais receberão apoio da prefeitura de Cuiabá

Ao total 31 propostas serão executadas por artistas regionais e devem resultar em grandes eventos em 2018

Da Assessoria | Com o objetivo de contribuir para a ampliação democrático das mais variadas manifestações culturais, bem como promover a valorização e difusão dessas atividades, a Prefeitura de Cuiabá realizou na sexta-feira (13) a apresentação do projetos culturais aprovados por meio do Edital de Cultura, lançado em 2017. Coordenado pela Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo, a ação de incentivo selecionou 31 propostas a serem executadas pelos artistas regionais com o apoio financeiro do Executivo cuiabano.

A medida cumpre com política de fomentação adotada pela gestão do Município e também com Lei Complementar nº 273/11, que dispões sobre a captação de recursos públicos para o desenvolvimento de projetos artísticos-culturais na Capital. No total, foi destinado aos sete segmentos contemplado o montante equivalente a R$ 535 mil, oriundo do Fundo Municipal de Apoio e Estímulo à Cultura. O valor está divido entre as seguintes áreas: Artes Cênica, Artes Visuais, Audiovisual, Cultura Popular, Literatura e Patrimônio.

“Esse é apenas um dos elementos que, com recursos próprios a nossa gestão está buscando desenvolver. Ao contemplar esses projetos estamos demonstrando nosso desejo de fortalecer esse segmento. Além disso, já determinei que o secretário Francisco Vuolo trabalhasse na promoção de uma série de outras ações. Dentes elas, está o festival de siriri, de rasqueado, e outros eventos que farão com que nossa cultura, que por si só já é muito rica, se consolide cada vez mais” comentou o prefeito Emanuel Pinheiro.

De acordo com o secretário municipal de Cultura, Esporte e Turismos, Francisco Vuolo, a escolha dos 31 projetos deve ser vista com um importante momento de fortalecimento às atividades culturais cuiabanas. Durante a solenidade, ele explicou que, nos últimos anos, o campo cultural não recebeu a devida atenção por parte do poder público. Todavia, Vuolo destacou que, ao assumir a Prefeitura, Emanuel Pinheiro estabeleceu que fosse retomado e colocado em prática os editais de incentivo aos artistas.

“O que vimos aqui foi o resultado da soma de nossos esforços, onde os 31 projetos foram apresentados para a população, já com a os recursos creditados na conta de cada proponente. Nossa expectativa é que, a partir do próximos meses, possamos ter uma série de grandes eventos e atividades culturais ocorrendo nos quatro cantos da nossa querida Cuiabá. Estamos buscando difundir e valorizar nossa cultura e, ao mesmo tempo, aproximar a Prefeitura dessa classe”, argumentou Francisco Vuolo.

Aprovação dos artistas Com apenas quatro meses de existência e contando com 20 componentes, o prodígio projeto Musikan, que une a prática do Karatê com a música de instrumentos de cordas, foi um dos beneficiados pelo Edital de Cultura. Segundo o diretor e maestro do grupo, Jorge Moura, poder contar com o apoio do Município é um reconhecimento de um trabalho que, em pouco tempo, conseguiu demonstrar todo potencial existente. Ele lembrou que, ao longo dos anos, vários projetos são iniciados pela cidade, porém, por não terem esse auxílio, acabam sendo finalizados sem os frutos almejados.

“Com essa assistência da Prefeitura, teremos condições de manter as aulas, conseguir novos instrumentos, e trazer mais crianças. Esse é um projeto que surgiu a partir de uma amizade com outros membros do grupo, onde tivemos a ideia de juntar o esporte com a música. Tínhamos uma vontade de levar para as crianças, além do lado físico do Karatê, um pouco da cultura que a arte proporciona, unindo os benefícios das duas práticas em prol da formação de bons cidadãos. São alunos que estão tendo contato com músicas regionais e, ao mesmo tempo, trabalhamos a questão do companheirismo e a necessidade de sempre ajudar o colega com mais dificuldade”, relatou o maestro.

Representando as raízes e tradições cuiabanas, o grupo de cururu Tradição Cuiabana, composto por mais de 30 membros, também teve a oportunidade de apresentar sua arte e ser contemplado pela iniciativa da Prefeitura. Conforme um dos lideres da associação, Thomas Flaviano, a medida da Prefeitura deve ser considerada não só mais um alento, mas também uma importante iniciativa de fomentação, diante de todas as dificuldades enfrentadas diariamente pelo conglomerado, que propaga a legitima representação da cultura regional.

“Todos nós nascemos e nos criamos seguindo a tradição do cururu e das festas de santos. Somos os grande representantes da cultura cuiabana. Se falar de cururu e siriri em qualquer lugar do Brasil, a pessoa imediatamente irá reportar a Cuiabá. Então, nada mais justo que possamos receber dos órgãos públicos incentivos como este. Somos muito gratos a Prefeitura de Cuiabá, representada pela Secretaria de Cultura, por ter nos ajudado. É mais uma ação que irá contribuir para o enriquecimento dessa atividade”, finalizou o curureiro. (Texto: Bruno Vicente / Foto: Luiz Alves)

Share Button

A Secretaria Municipal de Cultura virou papagaio de pirata, diz Milton Pereira de Pinho, o nosso Guapo

Distopia Municipal Cultural É o que se pode dizer das secretaria dos 300 ano e a de Cultura, Esporte e Turismo da…

Publicado por Milton Pereira de Pinho em Sexta, 23 de fevereiro de 2018

É o que se pode dizer das secretaria dos 300 ano e a de Cultura, Esporte e Turismo da Prefeitura de Cuiabá, pelo menos é o que se vê após 1 ano e 2 meses de gestão de um prefeito furtivo o qual só preocupa em querer “salvar a sua pele” de um fato o qual não tem argumento nenhum que contrarie.
A secretaria dos 300 anos é uma invenção que o prefeito Emanuel Pinheiro criou para pagar divida de campanha e colocou como gestor um secretário que surgiu do nada e que odeia nossa cultura regional e, por outro lado quer se promover como promoter de cultura de massa as custa de emendas parlamentar do Legislativo Estadual(dinheiro público) e empresa de bebida que vive há muito tempo no município e não tem nenhuma vontade de promover a cultura local.
Quanto a Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo virou “Papagaio de Pirata” subordinada a de 300 anos, pois até agora não fez nada, lançou o Edital 2017 para projetos culturais, foram todos apreciados e até agora não pagou os agraciados. Uma mixaria de 700 mil o qual demonstra o descaso do Prefeito com a classe cultural que começou com a maldição do ex-prefeito Mauro Mendes que anexou as pastas de Esporte e Turismo na Secretaria Municipal de Cultura criada pelo grande político já falecido Dante Martins de Oliveira.
Ontem “ eu tirei meu chapéu para Emanuel”, hoje “ eu peço perdão para meu chapéu”, pela merda que eu fiz com ele apostando num candidato irresponsável e que transformou a cultura cuiabana em moeda de troca para politicagem, criando uma dicotomia e celeuma na classe artística e cultural.
Encerro dizendo que se o Sr. Prefeito de Cuiabá não tem R$ 700 mil pra pagar os projetos do Edital – 2017, pare de enrolar a classe artística/cultural e de fazer a Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo, de “Papagaio de Pirata” e de “Cabide de Emprego” para fazer pagamento de divida política dos seus cabo eleitorais e feche esse órgão pois não está servido pra nada.

Share Button
1

Sebastião Carlos assume a presidência da AML em substituição a Marília Beatriz

Historiador volta à presidência pela terceira vez e noitada na Casa Barão serviu para revelar a arte da pequena Áurea Maria

Aurea Maria a jovem estrela na posse de Sebastião Carlos

Por João Bosquo | A posse de Sebastião Carlos Gomes de Carvalho na presidência da Academia Mato-grossense de Letras (AML) já tem um marco. A revelação da voz e do carisma da jovem – joveníssima – cantora Aurea Maria Barbosa Monteiro, de apenas 13 anos, que encantou a todos e marcou a noite.

Foram apenas duas, tão somente duas, canções uma de João Bosco e Aldir Blanc, o clássico “O Bêbado e o Equilibrista”, e outro clássico “Como Nossos Pais”, do recentemente falecido Belchior, que marcam momentos de excelência de nossa MPB e também marcam épocas na vida de nosso País. Foram dois momentos, mas quando a jovem talento terminou de cantar e o público pediu outra, era um sinal que o público ficou realmente extasiado.

A troca de presidentes da mais venerada casa de letras de Mato Grosso, a AML, aconteceu na noite desta terça-feira, 31. Deixou o comando a acadêmica Marilia Beatriz de Figueiredo Leite que, em seu discurso de despedida, fez um breve relato de sua gestão – que, segundo ela, foi bastante prejudicada pela ‘interminááááável’ reforma ou revitalização da Casa Barão de Melgaço.

Lembrou que a sua posse – dois anos atrás – nada mais, nada menos, contou com a presença do poeta goiano Gilberto Mendonça Teles, famoso pela exegese na obra de Drummond, e a inesperada aparição de Wladimir Dias-Pino – ambos se encontravam em Cuiabá participando do Setembro Freire. Falou da primeira reunião, ainda na Casa Barão e depois o périplo cuiabano, com destaque para uma realizada na Confeitaria Colombo.

Lembrou também – por conta da não entrega da obra – do protesto que alguns acadêmicos e jornalistas fizeram pichando os tapumes com versos. Até Ianara Garcia, da Globo local, neste dia fez-se poeta. Disse, não lembro, que uma viatura apareceu… Citou as comemorações do centenário de Gervásio Leite e a comemoração dos 95 anos da AML, no Palácio da Instrução, os dois eventos em 2016. Falou-se também da notificação extrajudicial que não resultou em nada, pois a Casa Barão de Melgaço só foi entregue pela atual gestão municipal, depois da intervenção do secretário Francisco Vuolo, da Cultura, que acertou os pormenores. E por derradeiro citou a instalação da Biblioteca “Therezinha de Jesus Arruda”, inaugurada no sábado, dia 28 de outubro.

O novo presidente abre o seu discurso falando do “Casarão de Barão de Melgaço” bicentenário, no qual se reunem vozes em defesa da soberania do solo pátrio, como também da cultura, da beleza da poesia e falou do grande legado de Augusto de Leveger, o nosso Barão de Melgaço, que hoje empresta o nome à casa.

Sebastião Carlos resgatou seu passado de militante político e fez uma dura crítica ao momento político que o país sobrevive ao citar nomes de acadêmicos que fizeram a história da entidade naquela casa – Dom Aquino Corrêa, José Barnabé de Mesquita, Lenine Póvoas, Clóvis de Mello, Silva Freire, Rubens de Mendonça, Maria Muller, Dunga Rodrigues, Estevão de Mendonça, Virgílio Corrêa… (devo ter omitido alguns nomes, não o acadêmico) e fez referência a um membro do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, um dos nomes de um dos nossos mais importantes heróis nacionais que é Cândido Mariano da Silva Rondon.

Carlos Gomes ressaltou, contudo, dando a coloração política, que esses notáveis não podem ser recordados apenas como referências de estudos, pesquisas, mas também como “luz, como uma importante faceta, nesta hora triste, sombria, vergonhosa que a pátria atravessa. Os exemplos de homens públicos são raros e se escasseiam a olhos vistos e a ética é destroçada em praça pública, a verdade humilhada, a virtude desprezada e o patriotismo tratado de modo vi. Esses mato-grossenses devem ser recordados e engrandecidos como exemplos de cidadania”. Faltou apenas, na boca do novo presidente, um FORA TEMER para arrematar com chave de honra o apaixonado pronunciamento.

Citou, como não podia deixar de citar, o trabalho de sua passagem anterior pela presidência da AML, a edição da Coleção Obras Raras de Mato Grosso que reúne obras literárias (romances, contos e poesias) publicadas entre os anos de 1917 e a década de setenta. Ele lembrou que, ao entregar essa coleção de livros na Biblioteca Nacional, um dos diretores comentou que seria importante para a cultura brasileira se, em cada um dos estados brasileiros, tivesse uma coleção como essa. São livros que se encontravam esgotados e esquecidos – incluindo aí o primeiro romance publicado por um autor nascido em Mato Grosso – e que, por sua importância para a história literária regional, foram reeditados a partir de 2008.

Uma falha imperdoável não poderíamos deixar de registrar, porém. Por que a leitura de correspondência de congratulações naquele momento de festa? Se a leitura, no nosso modesto modo de ver, não cabia a que se referia aos “mato-grossenses do NORTE”, menos ainda, já que não existe um Mato Grosso do Norte.

Presentes os acadêmicos Pedro Dorileo, Lucinda Persona, Tertuliano Amarilha, Moisés Martins, Nilza Queiroz, Elizabeth Madureira, Ubiratã Nascentes, José Carrara, Louremberg Alves, Eduardo Mahon, Fernando Tadeu, Ivens Scaff, Agnaldo Silva, João Vicente, Cristina Campos, Olga Castrillon e Luciene Carvalho.

O ativo secretário de Cultura de Cuiabá, Francisco Vuolo, compôs a mesa. Na distinta plateia juiz Antônio Pereira, os juristas Elarmin Miranda e Fábio Capilé, o advogado Renato Nery, o performático Neneto Sá, a ex-primeira dama do Estado, Maria Lygia Borges Garcia, acompanhada de seu filho o empresário Carlos Antonio, o juiz Jamilson Haddad, e o secretário de Cultura, Francisco Vuolo, no ato representando o prefeito Emanuel Pinheiro, entre outros.

Na parte cultural tivemos ainda as performances de Caio Augusto e Edilaine ‘recitando’ poemas de Carlos Gomes de Carvalho e as execuções dos hinos nacionais e do estado por conta do belo Quinteto Ciranda Mundo.

Voltemos ao início para fechar. Aurea Maria canta desde os sete anos, quando começou a estudar no Conservatório Dunga Rodrigues e, em 2012, faz sua estreia pública ao participar do recital no Colégio dos Padres. Está cursando a sétima série no Colégio Coração de Jesus, onde participa do coral; estuda técnica vocal com Raquel Rocha e piano. E de sua carreira, certamente, falaremos mais adiante nas páginas deste também histórico e persistente Diário de Cuiabá.

Share Button

3ª edição do campeonato de crossfit acontece na Orla do Porto e tem mais de 300 participantes

Por Rafaela G. Caetano | Cerca de 300 atletas participaram da 3ª edição do Strong Competition, o maior evento de crossfit de Mato Grosso. Feito com o apoio da Prefeitura de Cuiabá, a iniciativa trouxe as principais provas da modalidade para a Orla do Porto, em dois dias intensos de competição que celebraram um dos esportes mais populares da atualidade, valorizando também todos os portes físicos e a inclusão social. Encerrando-se com o entardecer do domingo (08), as atividades reuniram esportistas cadeirantes, iniciantes, intermediários, avançados, além de membros da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, todos em categorias distintas e correspondentes ao seu condicionamento físico.

Para o secretário municipal de Cultura, Esporte e Turismo, Francisco Vuolo, a realização do evento em um dos principais cartões postais da Capital é uma forma de valorizar a ampla extensão e beleza que o local tem a oferecer.

“A Orla do Porto oferece um vasto leque de opções para as mais diversas festas, competições, mostras e outros tantos tipos de celebração e nós queremos enaltece-la, permitindo que ela tenha um vigor constante. Esta é a determinação do prefeito Emanuel Pinheiro, que compreende que aqui temos uma estrutura riquíssima que une o Rio Cuiabá à história da cuiabania, que possui suas raízes neste espaço. Ao trazermos 300 atletas e um público apaixonado pelo esporte para a Orla, solidificamos mais uma opção de lazer ativa, que será palco de shows, feiras artesanais e muitos outros acontecimentos artísticos e esportivos”, afirmou.

O amparo da Prefeitura para a instalação de toda a estrutura necessária foi fundamental para garantir um bom evento. Segundo Marcella Abreu, uma das organizadoras do 3º Strong Competition, ter a Orla do Porto gratuitamente permitiu que o evento acontecesse sem comprometer o orçamento necessário para viabilizar a competição.

“Trazer o evento para a Orla com certeza amplia a sua visibilidade, uma vez que estamos diante de um espaço vasto e que naturalmente atrai visitantes. O suporte da Prefeitura na liberação do local gratuitamente e na contribuição da estrutura também foi de extrema importância, pois garantiu a viabilidade da competição sem sobrecarregara organização com custos mais elevados – o que aconteceria se fôssemos alugar alguma estrutura física. Nossos parceiros CFZ7 Barbell Club, Açaí Strong, ECO Eventos Corporativos e Knun Studio fizeram desta uma bela celebração do esporte e da qualidade de vida”, concluiu.

Share Button

Novos membros do Conselho Municipal de Cultura de Cuiabá tomam posse

Os conselheiros de Cultura do município de Cuiabá foram empossados em solenidade realizada na Casa Barão de Melgaço

Artistas manifestam contra possível contratação de Romero Britto para fazer o Selo 300 anos

Por João Bosquo | A solenidade de posse dos novos membros do Conselho Municipal de Cultura aconteceu na noite desta segunda-feira, 28, na Casa Barão de Melgaço. Além das formalidades de assinatura da ata de registro de posse, propriamente dito, do farto coquetel aos presentes, antes da abertura, para completar o roteiro, aconteceu uma manifestação por parte dos artistas plásticos contra a “romerização”, ou seja, contra a proposta feita pelo prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro de convidar para a criação do selo comemorativo aos 300 anos um artista de fora. Sê-lo ou não sê-lo o neologismo ‘romerização’ vem do nome do artista plástico Romero Britto, pernambucano, radicado nos Estados Unidos.

O secretário de Cultura de Cuiabá, Francisco Vuolo, que também assume a presidência do Conselho Municipal de Cultura, diz que a visão de política cultural se demonstra clara a partir da escolha do local para a posse dos novos conselheiros, que foi a Academia Mato-grossense de Letras. “Buscar as parcerias e as integrações com os diversos eixos da área cultural e será a tônica do Conselho Municipal de Cultura. Vamos trabalhar para que possamos – cada vez mais – aproximar dos produtores culturais, descobrir novos talentos, oportunizar a sociedade, a todos aqueles, em seus diversos segmentos da área da cultura para potencializarmos na construção de uma política cultural justa, concreta, na qual, principalmente nós sejamos os mais valorizados, ou seja a cuiabania, as nossas tradições, aquilo que nós representamos”, disse.

Os conselheiros posam para a foto oficial, após posse na Academia Mato-grossense de Letras

O secretário de Cultura e presidente do CMC disse que é essa a linha determinada pelo prefeito Emanuel Pinheiro e que ele, Francisco Vuolo, acredita que também será seguida pelos novos conselheiros. Vuolo disse que ainda que está muito confiante essa é a linha que também será adotada pelos demais conselheiros, ao mesmo tempo diz que está confiante em poder elaborar ações concretas, efetivas para construir uma nova roupagem, principalmente nesse momento emblemático no qual nos aproximamos dos 300 anos.

Uma dessas ações efetivas que o secretário e presidente do CMC destaca é a valorização e reorganização do Centro Histórico de Cuiabá. O Centro Histórico, lembra, é a porta de entrada, o cartão de visita da tricentenária capital. E um dos pontos mais importante para a revitalização da área central é, sem dúvida, o rebaixamento da fiação, já que faz parte do embelezamento e das condições para garantir a nova repaginação da cidade.

Francisco Vuolo com o conselheiro Matheus Aguiar

O vice-presidente da Academia Mato-grossense de Letras, José Carrara, abriu sua fala dizendo que a entidade estava orgulhosa em abrir as portas para a posse dos novos conselheiros. “Estamos conscientes da importância incomensurável do CMC para os 300 anos de Cuiabá”. Ele lembrou que “fazer cultura no Brasil não é fácil e exige denodo”, destacou.

Justino Astrevo, um dos conselheiros representante da prefeitura empossados, diz que o CMC vai poder analisar todas as perspectivas e avaliar como o poder público municipal irá investir, distribuir os recursos para que os segmentos funcionem, para que os projetos possam ser realizados e, enfim, que a cidade se beneficie desses projetos ao levar até a população.

Mas quem falou pelos novos conselheiros culturais foi Antonieta Luísa Costa, do Instituto Mulheres Negras (Imune), um discurso quase em prece, no qual pediu, além da proteção divina, nessa nova caminhada. “Que possamos realmente trabalhar para uma política cultural que atenda o nosso povo de Cuiabá. Que possamos ter consciência e discernimento de nosso papel quanto conselheiros nesse processo. Que Deus nos ilumine também e nos guie para que, na aprovação dos projetos, na construção das políticas culturais, possamos fazer o melhor, o melhor para o nosso município”. Antonieta disse ainda que acredita que o melhor será feito pois o conselho – o novo CMC – tem pessoas competentes, responsáveis e comprometidos com a cultura de Cuiabá.

Os artistas visuais cuiabanos, após que o prefeito Emanuel Pinheiro, em rede social, anunciou a participação do badalado artista Romero Britto na “construção” da identidade visual e do selo dos 300 anos de Cuiabá estão realizando uma abaixo-assinado on-line pedido explicações do prefeito sobre o porquê de tão inusitado convite a um artista, já que Cuiabá, Mato Grosso tem nomes de envergadura internacional (não vamos aqui citar nomes, pra não ferir suscetibilidade de ninguém) que poderia realizar essa ‘identidade 300’. Mesmo porque, vamos combinar, “agora são outros 300”, como lembrou um recém empossado.

Os porta-vozes dessa manifestação foram os artistas Ruth Albernaz e Vicente Paulo. Ruth lembrou o abaixo-assinado, que em dois dias já tinha alcançado mais de 800 adesões. O movimento criou a hastag #nãoaRomerizaçãodeCuiabá. O secretário de Cultura elogiou da postura de cobrar explicações que – segundo ele – serão dadas, mas de antemão adiantou que não existe nenhum contrato assinado com o referido artista.

Foram empossados, sendo seis titulares e seis suplentes dos segmentos artes visuais, música, audiovisual, literatura, cultura popular e artes cênicas, oriundos de eleição realizada no dia 18 de julho, no qual elegeu os seguintes nomes: Antonieta Luísa Costa, do Instituto de Mulheres Negras (Imune); Carolina Miranda Barros, do Instituto Inrede, e Marcos Levi de Barros, do Instituto Case de Desenvolvimento (pela Sociedade civil organizada) e Zilda Barradas, do setor Artes Visuais; Eduardo Francisco da Silva, o Eduardinho Mistura, da Música, e Odail da Costa Neves, da Cultura Popular (pelos segmentos).

Leia também: Novos membros do CMC tomam posse

Share Button

Conselho Municipal de Cultura empossa 23 novos membros para biênio 2017-2019

Da Assessoria | O Conselho Municipal de Cultura empossou, na noite desta segunda-feira (28), os seus 23 novos membros que exercerão o cargo de representantes do nicho no biênio 2017-2019. Com o objetivo de atuar em prol do fomento e da valorização das diversas manifestações artísticas que valorizem a cuiabania, os conselheiros são os responsáveis por avaliar projetos e deliberar sobre iniciativas que garantam oportunidades para os artistas locais, prezando pelo fortalecimento das nossas tradições.

Para o secretário municipal de Cultura, Esporte e Turismo e presidente do conselho, Francisco Vuolo, é necessário repensar o papel da instituição, para que as atribuições que correspondem a esta grande responsabilidade coloquem os interesses comuns à frente. De acordo com o gestor, é fundamental se despir de favoritismos e partidarismos na escolha dos projetos a serem executados.

“É preciso olhar primeiramente para dentro do próprio conselho, para que possamos construir um corpo formado por representantes que prezem genuinamente pelos interesses do segmento ao qual foi eleito. Parte deste zelo se perdeu no passado e hoje renovaremos essa premissa, garantindo a apreciação correta da arte, tomando decisões de maneira sábia e prudente. Como líderes que correspondem a um nicho tão crucial, devemos aferir projetos com excelência e qualificação, pensando em iniciativas culturais que valorizem nossa abundante riqueza e tradição, expressa tão nitidamente nos artistas que aqui se fazem presentes. Neste papel que assumimos, é fundamental desempenhar propostas que permitam a descoberta e promovam novos talentos locais. Para que isso seja uma realidade vivenciada pelo setor, a nossa instituição precisa criar novos instrumentos que oportunizem este leque tão abrangente de manifestações artísticas, ampliando o seu acesso. Esta será a tônica que iremos trabalhar ao longo destes dois anos, valorizando aquilo que produzimos com tanta propriedade em Cuiabá, buscando traduzir esta arte em dividendos econômicos”, afirmou.

Competência e discernimento são as palavras chaves que englobam as motivações do Conselho Municipal de Cultura, formado por artistas e produtores culturais das mais diversas vertentes. Para Antonieta Luisa Costa, representante da classe artística na solenidade de posse, o encorajamento aos colegas conselheiros é trabalhar por políticas que atendam o povo cuiabano, sempre ponderando o papel importante que os novos líderes possuem neste processo como agentes ativos na consolidação e propagação da arte local.

“Temos conselheiros de grande competência, que eu sei que serão capazes de atuar de maneira sábia na aprovação dos projetos, oferecendo o seu melhor para o município, a fim de que juntos possamos projetar ainda mais a cultura cuiabana – que em suas raízes é tão poderosa e marcante. Que possamos exercer essa responsabilidade com prudência, trabalhando arduamente de maneira correta e justa, lutando pela valorização dos nossos talentosos artistas, bem como de cada diversidade cultural existente em Cuiabá. Vamos a cada dia caminhar de cabeça erguida, nos orgulhar de nossas origens, reforçando que somos dessa terra e que como cuiabanos somos dignos e somos competentes sim. Este é o compromisso que firmamos com toda a classe”, pontuou.

Refletindo sobre a função do conselho, o vice-presidente da Academia Mato-grossense de Letras, José Carraro evidenciou o valor incomensurável que a instituição possui como impulsionador da cuiabania, solidificando o apoio da AML para os novos representantes. “Nós não poderíamos nos furtar em não abonar todo esse trabalho que será desenvolvido pelos novos membros. Fazer cultura neste país não é uma tarefa fácil, exige denoto, sacrifício, com um reconhecimento pequeno. Escrever neste país é tornar-se um escritor de gaveta, considerando os baixos investimentos dispensados à categoria. Então, em nome da nossa entidade e da presidente Marília Beatriz Leite, desejamos sucesso em abundância na execução desta árdua tarefa que visa o prestígio daquilo que temos criado na Capital”, disse.

Para o músico, escritor, compositor e membro do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, Neurozito Figueiredo Barbosa, consagrar as manifestações artísticas que abordem a cultura da nossa terra deve ser o critério principal na avaliação dos representantes. “É de suma importância que haja sabedoria na análise da escolha de projetos e peço encarecidamente que eles deliberem com cautela sobre as iniciativas, evitando injustiças e preferências incompatíveis. Que as coisas da terra sejam sempre prioridade no ato das decisões”, concluiu.

Share Button

Flor Ribeirinha é campeã! É campeã! É campeã!

Orgulho cuiabano, Flor Ribeirinha vence mundial de folclore na Turquia

Por Rafaela Gomes Caetano | O tradicional grupo folclórico Flor Ribeirinha foi consagrado o grande campeão mundial durante um festival internacional, realizado na cidade de Bűyűkçekmece, a antiga Istambul, na Turquia. Consagrados com a mais alta honra nesta sexta-feira (04), o projeto sociocultural – que possui origens na comunidade São Gonçalo – levou a histórica trajetória da cuiabania para o centro do palco, que também reuniu mais 26 países competidores.

Para o prefeito Emanuel Pinheiro, um dos grandes amantes e incentivadores do Siriri e Cururu, a vitória do grupo é a consagração máxima de um dos aspectos mais valiosos da cultura cuiabana. “Esta arte é o reflexo direto das nossas raízes, das origens históricas, sociais e artísticas do nosso povo. Somos donos de uma das manifestações artísticas mais poderosas, que carrega em si as cores quentes que emanam da nossa terra e traz uma narrativa cantada de um povo de origens religiosas, que se alegra ao som da viola de cocho – um instrumento que é nosso – e cria contos inspirados na fundação da nossa cidade. Nossa Capital ganha imensuravelmente com esta conquista, uma vez que reforça ainda mais a importância de nos mantermos atentos a um futuro promissor, que não ignore seu tradicionalismo. E a Cuiabá dos 300 anos será este encontro de gerações, onde o passado é ovacionado e eternizado, à medida que a tecnologia e a inovação projetam ela para dimensões extraterritoriais. O Flor Ribeirinha representa os anseios que realizaremos ao nosso povo, em que transformaremos esta terra na cidade modelo, onde os avanços sócio tecnológicos e econômicos caminham lado a lado de sua identidade cultural”, afirmou.

Sendo avaliados por uma banca de júri composta por profissionais especialistas em folclore e cultura popular no mundo, o grupo Flor Ribeirinha foi analisado mediante uma série de critérios técnicos. Competindo contra países como Coréia do Sul, Turquia e Hungria, o grupo superou sua árdua trajetória, transpôs barreiras linguísticas, sociais e estruturais e se destacou por seu diferencial artístico e único, fruto das raízes inigualáveis da cuiabania, conforme pontuou Jeferson Guimarães Rosa, diretor-executivo da Associação Cultural Flor Ribeirinha. De acordo com ele, a emblemática vitória é marcada pela certeza de que é necessário cultivar as sementes plantadas pelos fundadores desta terra, que fundaram Cuiabá na beira do rio.

“A alegria, o ânimo e o brilho do Siriri e Cururu trazido pelo Flor Ribeirinha para os palcos dos festivais que participamos é sempre um grande diferencial. A energia que esses 60 músicos, dançarinos e equipe de apoio carregam em seus movimentos, vozes e dons é algo que encanta as audiências ao redor do mundo, como aconteceu durante uma turnê na França que fizemos, bem como nos festivais de dança locais em que estivemos na Itália. Nossas apresentações coloridas são fascinantes aos olhos e tudo isso é reflexo de um árduo trabalho artístico e técnico, desenvolvido pelos profissionais mais competentes possíveis. Nosso diretor musical, Edmilson Maciel, o coreógrafo Avinner Augusto e a dona Domingas são peças fundamentais que culminaram no belíssimo espetáculo que entregamos na Turquia. E mesmo com nossas limitações e sofrimentos enfrentados ao longo desta jornada, mais do que nunca sabemos que não podemos parar. Precisamos continuar trabalhando para que a nossa cultura seja cada vez mais respeitada. Pois a cada nova conquista, Cuiabá, Mato Grosso e o Brasil são enaltecidos por suas tradições locais”, revelou.

Para o secretário municipal de Cultura, Esporte e Turismo, Francisco Vuolo, o grupo é um exemplo para a Capital. “É a comunidade ribeirinha do São Gonçalo Beira Rio levando o Siriri e a história da tradição do nosso povo para ter o reconhecimento no mundo. Em nome da querida e guerreira Domingas Leonor, quero parabenizar não só aqueles que com todo mérito integram a equipe que participou do Festival de Folclore 2017 em Istambul, mas também a todos que um dia apoiaram, trabalharam e sobretudo acreditaram que este sonho pudesse se transformar em realidade. Uma linda história e exemplo de determinação, crença e vontade de vencer que com certeza servirá como referência para quem acredita nas tradições tricentenárias do povo Cuiabano”, disse o secretário de Cultura de Cuiabá, Francisco Vuolo.

Share Button

Exclusivo: Conselho Municipal  de Cultura de Cuiabá define seus membros em eleição nesta terça

Os membros do novo Conselho Municipal de Cultura de Cuiabá, enfim, foram eleitos. A escolha aconteceu nesta terça-feira, 18, quando durante o transcorrer do dia delegados representando as entidades da sociedade civil organizada e delegados dos segmentos artes visuais, música, audiovisual, literatura, cultura popular e artes cênicas escolheram  -pela Sociedade civil organizada- Antonieta Luísa Costa, do Instituto de Mulheres Negras (Imune); Carolina Miranda Barros, do Instituto Inrede, e Marcos Levi de Barros, do Instituto Case de Desenvolvimento; e -pelos segmentos- Zilda Barradas, do setor Artes Visuais; Eduardo Francisco da Silva, o Eduardinho  Mistura, da Música, e Odail da Costa Neves, da Cultura Popular.

Os eleitos pelo segmento: Odair Neves, Eduardinho Mistura e Zilda Barradas

A presidente da Comissão Eleitoral, Cybelle Bussiki, após a apuração dos votos, explicou que apenas 12 delegados deixaram de comparecer ao pleito, mas o número não representava risco para a representatividade dos eleitos. E num discurso emocionado  desejou felicidades aos eleitos, ao mesmo tempo que cobrou uma participação efetiva nas atividades do CMC como também do Fórum Permanente de Cultura, no qual se debate as políticas culturais do Estado e municípios. Segundo ela, o momento de valorizar a cultura popular é agora, pois o CMC é o conselho dos 300 anos de Cuiabá.

A conselheira eleita mais bem votada, com 34 votos, Zilda Barradas, manifestou de forma contundente, dizendo que não está ‘preocupada’ com os editais, mas preocupada com a política cultural, com a falta de continuidade e no momento “precisamos ressuscitar os dois conselhos de cultura para atender a expectativa do mercado”.

Membros da Comissão Eleitoral faz apuração dos votos

O Secretário de Cultura de Cuiabá, Francisco Vuolo, após a proclamação dos  resultado compareceu ao local de realização da votação para cumprimentar os membros da Comissão Eleitoral pelo trabalho desenvolvido e aos novos eleitos.  Segundo ele, vive-se um “momento impar com a realização bem-sucedida  da eleição, em todos os seus momentos, por conta da sensibilidade da comissão que conduziu o processo e pudesse ter os conselheiros e seus respectivos suplentes”.

Na outra parte o secretário fez questão de agradecer a participação de todos, tanto na fase preparatória como na eleição, pois entendem a necessidade de estar presente, mesmo diante da dificuldade da retomada da credibilidade de conselho que está em processo de reconstrução.

O cronograma inicial proposto originalmente sofreu um pequeno atraso. A eleição deveria ter acontecido no último dia 8, porém por conta de uma reclamação contra a votação dos delegados suplentes da comissão eleitoral aconteceu o adiamento.

Os suplentes eleitos por segmento foram Luiz Renato de Souza Pinto (Literatura), Sernon Sebastião Cordeiro (Audivisual) e Matheus de Luca (Artes Cênicas);  pelas entidades da sociedade civil organizada os suplentes são Endson Santana Souza e Silva, Geremias dos Santos e Kelson Joemir Panoso dos Passos.  A posse dos eleitos será definida posteriormente.

 

Share Button

O Conselho Municipal de Cultura da Cuiabá 300 será escolhido dia 10, segunda-feira

Enquanto a escolha do Conselho Estadual segue enrolada, em Cuiabá a classe artística elogia a transparência e a agilidade do processo

Por João Bosquo | A Eleição para o Conselho Municipal de Cultura de Cuiabá caminha para ser uma eleição exemplar. Nada de confusão, nada de não entendi o edital, nada de nada que possa sofrer correções que não corrigem o essencial reclamado pela classe artística, como está sendo a traumática escolha dos conselheiros do Conselho Estadual de Cultura.

Olha que, o regimento para escolha dos conselheiros municipais foi publicado no último dia 26 de junho, menos de um mês e já no próximo dia 10, segunda-feira, teremos a eleição para escolha daqueles que vão compor o Conselho Cultura que vão estar intimamente ligados às ações e a política cultural do município, voltada para os 300 anos de fundação de Cuiabá.

O calendário, pelo que pudemos apurar, está sendo cumprido à risca para não haver “diz que me diz que”. A segunda reunião preparatória para o pleito do dia 10, aconteceu na tarde desta segunda-feira, 3, no auditório da Advocacia Eduardo Mahon. Essas reuniões – conforme o regulamento do Regimento Eleitoral – são, na verdade, a primeira fase do processo eleitoral, nas quais são escolhidos os candidatos a membro do Conselho Municipal de Cultura e os delegados que voltaram na segunda fase do colégio eleitoral.

Nessa primeira etapa, serão escolhidos três candidatos e 10 delegados de cada segmento que irão votar na segunda etapa. São sete segmentos: Música, Audiovisual, Artes Visuais, Cultura Popular, Folclore e Artesanato, Artes Cênicas, Literatura e Humanidades e Patrimônio Histórico; e três candidatos e dez delegados das entidades da sociedade civil. Pois bem, esse colégio eleitoral de no mínimo 104 eleitores, formado por candidatos e delegados, irá eleger três representantes titulares e três suplentes dos artistas e produtores culturais e três representantes titulares e suplentes das entidades da sociedade civil.

Não existe possibilidade de se eleger dois representantes do mesmo segmento, pois o eleitor é obrigado a votar em três candidatos, não pode votar em dois representantes da mesma área.

Eduardo Espíndola, integrante do atual Conselho Municipal de Cultura e membro da Comissão Eleitoral, explicou como se dará o processo e quais as obrigações e os impedimentos impostos aos membros do CMC. A mais dramática é o impedimento de se apresentar projetos. Mesmo contrariado, o escritor, ator e professor, Luiz Renato de Souza Pinto, um dos contemplados com o prêmio de Literatura em 2015, vai encabeçar a lista os indicados. Os outros dois são os escritores Cristina Campos e Aclyse Mattos.

Cybelle Bussiki, também membro da Comissão Eleitoral, diz que a tendência é escolher bons conselheiros, responsáveis com relação aos projetos culturais. Segundo ela, o processo de escolha dos conselheiros que está sendo realizado em Cuiabá é bastante inclusivo e está sendo “bem compreendido, diferentemente ao do Estado”. Ela destacou ainda o fato que este novo conselho será o Conselho dos 300 anos de Cuiabá

O secretário de Cultura de Cuiabá, Francisco Vuolo, anteriormente declarou que a mecânica estabelecida visa a democratização do processo de escolha definida em comum acordo com o prefeito Emanuel Pinheiro.

Assim está sendo cumprido o cronograma eleitoral. A comissão eleitoral tem agora o prazo até 17 horas de sexta-feira, 7, para a entrega do ofício de encaminhamento com a lista de delegados e candidatos no protocolo geral da Prefeitura Municipal de Cuiabá para que se faça, no dia 10, a da plenária de apresentação dos candidatos e eleição, que vai acontecer das 8 às 18 horas na Sede do CMC, antigo Clube Feminino.

Share Button

Prefeitura e Academia de Letras conversam sobre Cuiabá 300

O secretário de Cuiabá, Francisco Vuolo, visita a Casa Barão de Melgaço e entabula parceria com vistas ao tricentenário cuiabano

Francisco Vuolo

Francisco Vuolo, secretário de Cultura de Cuiabá

Por João Bosquo | A Casa Barão de Melgaço, recém-reformada pela Prefeitura de Cuiabá, abriu suas portas para receber a visita do Secretário Municipal de Cultura cuiabano, Francisco Vuolo, que foi recebido pela presidenta da Academia Mato-grossense de Letras (AML), Marilia Beatriz de Figueiredo Leite, que estava acompanhada pelo vice-presidente, José Cidalino Carrara. Foi uma visita de cortesia e de trabalho, com vistas os 300 anos de Cuiabá.

O tom da conversa foi mais ou menos assim: “Nós, a Academia Mato-grossense de Letras, queremos participar dos 300 anos de Cuiabá”, teria dito Marilia Beatriz. Francisco Vuolo respondeu: “Nós, a Prefeitura de Cuiabá, queremos a participação da Academia Mato-grossense de Letras”. E parece que será assim. Segundo Marília Beatriz, “não dá mais de andar separados”.

O secretário Francisco Vuolo disse que a visita também era “uma determinação do prefeito Emanuel Pinheiro”. A determinação, segundo ele, é o de buscar a integração para as ações que promovam as políticas culturais.

Além da acolhida, segundo Francisco Vuolo, a direção da AML apontou projetos que poderão ser desenvolvidos em parceria entre o município e a entidade. Ele lembra que vivemos no limiar dos 300 anos de fundação da nossa capital. Vamos combinar, não é todo ano que uma cidade comemora 300 anos. Para Vuolo “a integração entre a Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo e a Academia Mato-grossense de Letras será de vital importância para que se possa implementar projetos e ações que fortaleçam a cultura. E ao falar de cultura, uma das entidades principais é AML”.

A presidenta da AML, Marília Beatriz destacou, em primeiro lugar, o fato de ter sido o secretário Francisco Vuolo que solicitou a reunião, uma demanda antiga da entidade, mas que não conseguia dialogar com os gestores da administração passada (leia-se Mauro Mendes). “Achei isso extraordinário, o que demonstra o interesse pela cultura mato-grossense e por uma das instituições mais antigas de Cuiabá”, afirmou.

Na outra parte, Marília Beatriz disse que algumas ações e projetos que foram colocados pelo secretário vão ao encontro ao que vem sendo pensado por ela, enquanto pessoa física, mas faz parte de um pensamento que é o de ver Cuiabá mais cultural.

Um desses projetos é o de criar, na sede da secretaria de Cultura – antigo Clube Feminino, e que já chegou receber o nome de Zulmira Canavarros, uma das fundadoras –, uma Galeria de Artes. Segundo o gestor municipal, esse esboço já está sendo elaborado. Outra ação é de revigorar a Biblioteca Pública Municipal M. Cavalcanti Proença que, além dos livros físicos, possa também trabalhar com livros digitais.

Marília Beatriz disse que ficou satisfeita com tudo que ouviu da parte do secretário, pois mostra uma visão aberta, moderna de conduzir as ações e projetos, além do caráter de valorizar a entidade e apoiar naquilo que for competência do município.

Enquanto efeméride cuiabana, Francisco Vuolo disse que o prefeito Emanuel Pinheiro, até por ser um compromisso de campanha, está ‘desenhando’ uma gestão voltada para os 300 anos, mas que vai acabar no dia 8 de abril de 2019. “O prefeito está pensando num programa que começa agora e vai se estender além. Por isso este ano de 2017 será um ano de planejamento e de organização para que possamos lançar um grande programa, que não só atenda exclusivamente obras físicas, mas que também busque o envolvimento da sociedade, para que possamos trazer para dentro desse projeto uma Cuiabá mais humana e possamos construir uma cidade voltada para o cidadão, já que esse é o foco do prefeito Emanuel Pinheiro”, disse.

Uma boa notícia – atenção, José Antônio Lemos dos Santos: o secretário Vuolo, durante sua visita à AML, revelou que o projeto de rebaixamento do cabeamento do Centro Histórico de Cuiabá está na pauta do prefeito Emanuel Pinheiro e deve – se tudo der certo – sair do papel. Segundo Vuolo, o prefeito já esteve com a presidente nacional do Iphan, a historiadora Kátia Bogéa, e existe a possibilidade do município assinar um convênio para alocar recursos federais e desenvolver o projeto sonhado há mais de 30 anos.

Por que chamo a atenção do arquiteto José Lemos? Porque é um dos cuiabanos mais apaixonados que enxerga Cuiabá além do próprio nariz. Segundo ele, o rebaixamento do cabeamento é imprescindível para se planejar intervenções urbanísticas, como o piso, a restauração de prédios.

Para José Lemos, “não tem nada mais anti-histórico que os postes da rede elétrica”. Segundo ele, muitos proprietários de prédios na região vão fazendo das tripas coração para manter a fachada, mas tem na sua frente um poste com transformador, com mil e quinhentos fios, desfocando qualquer beleza arquitetônica da região.

Apoiado. Viva Cuiabá 300.

Leia tambem: Cuiabá 300-2

 

Share Button

Prefeitura inaugura Centro de Atendimento ao Turista em shopping de Cuiabá

Por Alessandra Barbosa | Pensar em Cuiabá dos 300 anos é planejar os mínimos detalhes. Neste sentido, a Prefeitura de Cuiabá instalou no Shopping Goibeiras um novo Centro de Atendimento ao Turista (CAT). São nestes centros comerciais que circulam muitos turistas ou pessoas que estão a negócio na cidade e desejam conhecer melhor a Capital mato-grossense.

A partir de agora, o turista ou mesmo as pessoas que moram em Cuiabá poderão contar com um espaço voltado ao turismo do Vale do Rio Cuiabá. O CAT conta com uma estrutura para fornecer informações aos visitantes da cidade sobre pontos turísticos, eventos, hotéis, além de esclarecer alguns itens que podem auxiliar o turista no melhor aproveitamento durante a sua estadia em Cuiabá.

De acordo com o secretário de Cultura, Esporte e Turismo, Francisco Vuolo, não há como pensar em turismo sem buscar parceiros na iniciativa privada. “É preciso buscar os instrumentos para aproximar o poder público das ações da iniciativa privada. Entre os locais que se entende como potenciais de movimentação econômica e atividades turísticas está o shopping”, explicou o gestor.

“Ter um centro de atendimento dentro do shopping faz a aproximação do grande público que vem de fora e circula nele. Muitas vezes estas pessoas não têm a orientação necessária e nem alternativas de restaurantes, locais para fazer visitações e atrativos culturais. Pensando neste viés, o CAT no shopping vem a somar conosco. Aqui, teremos mais um mecanismo de atuação”, explicou o secretário.

O termo de cessão entre a Prefeitura e Shopping prevê o uso do espaço por um prazo quatro meses para divulgar a cidade. Nete período, será colocado um questionário à disposição do público visitante. Com o resultado desta consulta, a Secretaria pretende incrementar, corrigir e dispor de números para contribuir com políticas públicas para o setor turístico.

Segundo o secretario-adjunto de Tursimo, Marcus Fabricio, a parceria com o shopping é importante para o turismo local, tendo em vista que este tipo de espaço comercial recebe um grande fluxo de pessoas diariamente e reforça ainda mais a preocupação da gestão em todos os aspectos da cidade. “É um grande avanço para o município poder disponibilizar este serviço. Sempre teremos um ou mais turismólogos preparados para passar todas as informações”, disse.

Conforme a gerente de marketing, Tassia Carvalho, a ideia de trazer a prefeitura para dentro do shopping era um desejo antigo. “O prefeito Emanuel Pinheiro recebeu a instituição para apresentar o projeto ‘Viva Cuiabá, Viva’, que consiste na valorização do turismo e a cultura da capital. Desde que estivemos em reunião com o prefeito, vimos a oportunidade de estreitar os laços entre o shopping e a prefeitura pelo turismo.

A cerimônia de inauguração atraiu algumas pessoas que circulavam no local, como o pastor Pedro Paulo de Barros acompanhado de sua família, que parou para conhecer o ambiente. “Estou admirado com a iniciativa do prefeito e espero que possa dar resultados para o desenvolvimento da cidade e que as pessoas venham desfrutar o que a nossa capital pode oferecer”, observou o religioso.

O evento contou também com a presença da diretora financeira da Associação Brasileira de Agentes de Viagens (ABAV), Esther Grecco. “Eu acho muito importante ter esse centro de atendimento aqui. O shopping é o primeiro lugar que a gente vai quando chega a uma cidade. É aqui que você começa a conhecer a cidade. Atualmente, a Secretaria de Turismo está fazendo um trabalho que até então não tínhamos visto, estão todos de parabéns” ressaltou a diretora.

Fonte: Secom-Cuiabá

Share Button

Nomeação de Francisco Vuolo como Secretário de Cultura cria as melhores expectativas em todas as áreas de atividade cultural cuiabana

Francisco Vuolo, novo secretário de Cultura, ao lado do acadêmico Ivens Scaff

O Administrador Francisco Vuolo terá trabalho à frente da nova (de novo) pasta de Cultura de Cuiabá.  Mesmo porque o aniversário de 300 (trezentos) anos de fundação de Cuiabá já está na porta, faltam menos de dois anos. Como por todas às vezes que ocupou cargos públicos sempre se sobressaiu como bom e, melhor de tudo, nunca (nunca) foi acusado ‘disto ou daquilo’, o que não é pouca coisa, vamos combinar, nestes tempos de denuncismos baratos e espetacularização da corrupção, não só pela mídia, mas fundamentalmente pelas redes sociais.

A comunidade cultural, artística e pensante cuiabana só tem louvores ao prefeito Emanuel Pinheiro pelo acerto em desmembrar as pastas de Turismo e Esporte da de Cultura e pela escolha do nome de Francisco Vuolo para comandar Secretaria Municipal de Cultura de Cuiabá.

O escritor romancista, poeta, ex-presidente da Academia Mato-grossense de Letras, além de jurista, Eduardo Mahon, diz que “a nomeação de Vuolo é uma boa notícia”. Segundo Mahon, “trata-se de um homem traquejado em políticas públicas”. Continue Reading

Share Button

Casa Barão reabrirá as portas. Agora vai

A reabertura se dará, depois de idas e vindas, expectativas e frustrações – se não chover – em 6 de maio

A primeira notícia foi que a Casa Barão de Melgaço seria entregue à população no último dia 15 de abril, dentro dos festejos de aniversário dos 300-2 da capital mato-grossense. A festa chegou a ser incluída pelo então secretário de Cultura de Cuiabá, Anselmo, com uma série de shows, na programação festiva da capital, misturada com Zezé di Camargo e Amado Batista. Micou – e agora a expectativa é que a reforma seja concluída, o que dela falta concluir, no próximo dia 6 de maio, um sábado.

O evento fica por conta da prefeitura Municipal de Cuiabá e o prefeito cuiabano, Emanuel Pinheiro receberá as devidas reverencias da cuiabania, ainda mais agora que desmembrou a secretaria de Cultura e nomeou como secretário o cuiabaníssimo Francisco Vuolo, que já fora secretário com Roberto França.

Marília Beatriz de Figueiredo Leite, presidenta da Academia Mato-grossense de Letras (AML) não esconde a felicidade em ver a sede da entidade e do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso (IHGMT) com suas janelas e portas abertas para receber os confrades acadêmicos e membros históricos, bem como o público em geral. Continue Reading

Share Button

Entre aspas: Francisco Vuolo é o novo secretário de Cultura de Cuiabá e comandará os festejos dos 300 anos

><>O programa Resumo do Dia, comandado por Roberto França, mais uma vez informa em primeira mão, mudança no secretariado cuiabano. Agora com uma boa notícia. Francisco Vuolo será o titular da Secretaria de Cultura, que volta ser exclusiva.
Na sequência o Rubando Bombo posta a informação na rede.

BOMBA BOMBA; FRANCISCO VUOLO É O NOVO SECRETÁRIO DE CULTURA DE CUIABÁ

ac742d25ef122cbf1fdec590f78b2c6c

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), anunciou na noite de hoje que irá desmembrar a secretaria de Cultura, Esportes e Turismo. Hoje, a pasta é comandada pelo historiador Renato Anselmo que deve deixar o cargo e passar a ocupar outra função no palácio Alencastro.

De acordo com o prefeito peemedebista ao programa Resumo do Dia (TV Brasil Oeste), o ex-vereador Francisco Vuolo (PP) será o secretário de Cultura e coordenador do Projeto Cuiabá 300 anos. Já o atual vice-prefeito, Niuan Ribeiro (PTB), ganhará o cargo de secretário de Esporte e Turismo. Continue Reading

Share Button

A Mais Viável das Ferrovias – Por José Antônio Lemos

Este seria meu sétimo artigo com o mesmo título desde a década passada, mas desisti de numerá-los. A mais viável das ferrovias torna-se cada vez mais viável e ainda não está construída a dois anos do trigésimo aniversário de sua concessão pela União. Absurdo! Só não vê quem finge não ver. Enquanto isso todos perdemos ao longo das rodovias incompatíveis com a extraordinária capacidade mato-grossense de produção de cargas, de ida e de volta.

Boas notícias recentes sobre o assunto me levam a voltar a ele. Primeiro a reativação pública do importante Fórum Pró-Ferrovia, sob a coordenação de Francisco Vuolo, já com uma reunião (20/01) com o governador Pedro Taques assinando a “Carta de Mato Grosso – Ferrovias”, encaminhada no último dia 26 à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que se comprometeu a avaliar a extensão dos trilhos de Rondonópolis até Cuiabá, e sua continuidade até Sorriso. Cabe destacar que o governador na oportunidade teria vestido a camisa dessa importante continuidade ferroviária, outra desejada e alvissareira notícia, já que nenhum outro governo assumiu de verdade essa causa, depois de Dante de Oliveira. A terceira boa notícia é uma que se repete a cada ano, Mato Grosso, o estado campeão, bate de novo seu próprio recorde na produção agropecuária, consolidando-se como disparado o maior produtor agropecuário nacional e responsável pelos sucessivos saldos na balança comercial brasileira, sem o qual a péssima situação da economia nacional estaria pior ainda. Continue Reading

Share Button

Maior banco de desenvolvimento do mundo está conhecendo MT

A missão chinesa que se encontra em Mato Grosso, liderada pelo CDB, o maior banco de desenvolvimento do mundo, e até o próximo dia 10 realiza uma série de reuniões e painéis sobre o momento econômico vivido pelo Estado, tem como foco quatro pontos para os futuros investimentos: infraestrutura, agricultura, ferrovia (logística) e minério. A comitiva chinesa é formada por profissionais de alto nível, conforme destacou o vice-diretor geral do Departamento de Planejamento do CDB, Hu Dong Sheng, durante sua apresentação.

Os chineses foram recepcionados pelos secretários de Estados, Eder Moraes, da secretaria de Articulação Institucional em Brasília, e Francisco Vuolo, da secretaria- extraordinária de Estado de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes e membros do Grupo de Trabalho do Governo de Mato Grosso.

O governo de Mato Grosso, por meio da Sicme, realizou um painel no qual apresentou a política de incentivos fiscais, os programas de desenvolvimento da mineração e indústria, e o potencial mineral do estado, com os grupos de jazidas, destacando que a exploração ainda é inviável por conta da falta de logística, principalmente pelo modal ferroviário.

O diretor Hu Dong Sheng realizou um apanhado do China Development Bank (CDB), destacando inicialmente que o CDB é o maior banco de desenvolvimento do mundo, com um capital que já ultrapassou a casa de um trilhão de dólares americanos. Depois o executivo chinês destacou que o banco, além da capacidade de investimentos, tem uma expertise em planejamento e está em Mato Grosso em busca de um modelo de cooperação. Segundo ele, o CDB já está incentivando outras entidades financeiras a apoiar empresas chinesas que desejam investir em Mato Grosso.

Continue Reading

Share Button

Chineses voltam a Mato Grosso e se reúnem com o Grupo de Trabalho do Governo

Uma missão do China Development BanK (o correspondente chines do BNDES) começa a conhecer oportunidades de investimento em Mato Grosso nesta terça-feira (04.06). Ela se reúne com técnicos do Governo do Estado no período da tarde, com início às 14 horas, no Salão de Reunião Governador José Garcia Neto para o 9º encontro. Os chineses voltam a Mato Grosso para uma série de prospecção de negócios e vão conhecer o processo de produção agrícola, que coloca o setor como um dos mais avançados do mundo em termos de produtividade. Na pauta dos dias em que vão conhecer Mato Grosso (eles ficam até o dia 10) estão a pecuária, comercialização e os corredores de escoamento dessa produção; o potencial mineral.

“Os chineses estão, cada vez mais, interessados em conhecer Mato Grosso, cujo interesse vai além da logística”, declara o secretário-extraordinário de Estado de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes, Francisco Vuolo. Segundo ele, nesse novo encontro vão acontecer diversos painéis, até sexta-feira, e a visita dos chineses encerra com um encontro com o Governador Silval Barbosa, na segunda-feira, 10.

A agenda prevê reunião com o Grupo de Trabalho do Governo de Mato Grosso. Na sequência uma apresentação do China Development Bank (CDB) sobre o Instituto CDB. No encerramento a Sicme fará uma apresentação de um painel sobre os programas especiais para o desenvolvimento da mineração industrial.

Continue Reading

Share Button

Para onde vai a FICO?

José Antônio Lemos

José Antônio Lemos

De novo, antes que alguns levem a conversa para esse lado, repito que não sou contra a Ferrovia da Integração do Centro-Oeste – FICO, desde que explicada de forma inequívoca sua viabilidade neste momento de emergência, em lugar da continuidade do traçado da Ferronorte a partir de Rondonópolis. Nem sou contrário à chegada da ferrovia a Lucas do Rio Verde, muito pelo contrário, como brasileiro e mato-grossense, quero que os trilhos cheguem lá o mais rápido possível, aliás, essa foi a razão de meu protesto quando foi anunciada a paralisação da Ferronorte em Rondonópolis, a 560 Km de Lucas, trocados pelos 1200 Km da FICO. Também não sou contra o agronegócio e poucos têm escrito mais do que eu festejando seu sucesso. E nem adianta me intrigar contra os conterrâneos e amigos do norte e médio-norte mato-grossense, junto aos quais torcerei nesta quarta pelo Luverdense, jogando em Salvador, confiante em novo avanço na Copa do Brasil.

Reitero meu respeito pessoal a Francisco Vuolo, atual secretário de Logística do estado pelo seu histórico de luta, de seu saudoso pai e de sua família pela chegada da ferrovia em Mato Grosso e em especial a Cuiabá. Mas o andamento da questão ferroviária nos âmbitos federal e estadual exige explicações oficiais convincentes sobre o que de fato está ocorrendo nessa área vital para Cuiabá, para o estado e para o país. No atual estágio de desenvolvimento de Mato Grosso a questão mais urgente é a incorporação do modal ferroviário à sua logística de transporte não só para levar a produção do estado, mas também para trazer qualidade de vida à sua população em forma de fretes menores para seus suprimentos, mercadorias e insumos diversos. Esse assunto já extrapolou a economia e envolve hoje o meio ambiente e em especial a segurança nas rodovias, cujos limites de suporte foram superados de forma irreversível como mostram as crescentes estatísticas de acidentes com as quais o povo mato-grossense convive dolorosamente.

Neste quadro de gravidade e urgência logísticas, já era incompreensível a ideia de se trocar a ligação férrea de 560 km em ambiente antropizado de Lucas a Rondonópolis, onde a ferrovia encontra-se pronta, por uma outra de 1200 km, desviando a produção mato-grossense para Campinorte em Goiás em trajetos pouco conhecidos ambientalmente e indefinidos, ainda com 3 alternativas segundo o próprio secretário Vuolo. Agora ficou ainda mais difícil de entender essa troca diante da recente matéria do Fantástico expondo ao Brasil que a Ferrovia Norte-Sul não existe e nem sequer há previsão de operação diante de inúmeros problemas envolvendo sua construção. E é para a Norte-Sul que querem levar a FICO. Seria essa a solução?

Continue Reading

Share Button

Silval mostra determinação política para acelerar a obra

A reunião realizada para receber contribuições ao traçado da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico) que vai ligar Lucas do Rio Verde (MT) a Campinorte (GO), ocorrida nesta sexta-feira (10), no Palácio Paiaguás, demonstra a determinação política do governo para efetivar com celeridade o modal, importante para o escoamento da produção mato-grossense. Prefeitos dos municípios por quais a ferrovia irá passar, lideranças políticas e empresariais se reuniram com o governador Silval Barbosa durante toda a manhã.

O governador Silval Barbosa disse que a Fico é um importante componente para a logística e a solução para Mato grosso, na atual conjuntura do agronegócio. “Essa ferrovia vai possibilitar outra importante economia, que é a extração de minério”, assinalou. A logística é o grande problema do Estado, e o governo está trabalhando muito para resolver. “A tecnologia da produção, da produtividade, os nossos produtores, as federações, já detêm”, disse afirmando que agora era hora de debater o escoamento das riquezas do Estado.

Os presentes fizeram Importantes contribuições para otimizar o processo que visa a colocar o quanto antes os editais para o início das obras. Conforme o secretário Francisco Vuolo, titular da secretaria de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes (Selit) foram apresentados os estudos de traçados elaborados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), com investimento mínimo de R$ 6,6 bilhões, que inclui a construção de obras de artes, pontes, viadutos, pátios de cruzamentos. O projeto executivo será realizado pela empresa ou consórcio vencedor da concorrência. O prazo para conclusão da obra é de 38 meses.

O prefeito de Lucas de Rio Verde, Otaviano Piveta, está bastante entusiasmado com o novo marco regulatório que proporciona segurança jurídica e vão garantir o retorno dos investimentos realizados pela iniciativa privada. “O dinheiro para a construção da Fico não é problema, pois ela está dentro do PAC, como prioridade do Governo Federal, o que queremos é celeridade na execução, que ela saia do papel o quanto antes”, disse o deputado federal Wellington Fagundes. O senador Pedro Taques também destacou a importância da reunião para debater o traçado da Fico.

Continue Reading

Share Button

Água Boa manifesta-se pró audiência pública no municipio e cobra data

O município de Água Boa (730 km de Cuiabá), por meio dos poderes executivo e legislativo, já manifestou pela realização da audiência pública na cidade para debater a implantação e construção da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), conhecida também como a Ferrovia da Soja. Em correspondência ao secretário de Acompanhamento de Logística Intermodal de Transporte (Selit), Francisco Vuolo a prefeitura e câmara cobram a definição de data para preparar a cidade para o evento.

A realização de audiências públicas é um imperativo da legislação que rege a construção e implantação de grandes empreendimentos no país. Nas audiências públicas a sociedade civil organizada, por meio das organizações instituídas, entidades de classe, pode se manifestar e debater e até mesmo exigir mudanças no projeto.

No próximo dia 10, próxima sexta-feira, o Governo de Mato Grosso realiza no Auditório Ponce de Arruda, com participação de prefeitos de cidades por quais a Fico vai passar e entidades diversas do segmento produtivo, uma audiência para tomada de subsídio presencial. No dia 24 de maio, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) encerra a tomada de subsídios eletrônica.

Continue Reading

Share Button

Logística do Absurdo

Como diria o Odorico Paraguaçu, de Dias Gomes, começo este artigo com a alma lavada e enxaguada nas águas da vitória do Mixto sobre o poderoso Vitória baiano, porém com a barba de molho para o jogo de volta hoje à noite. Mesmo que a classificação não venha, viva o Mixto e os mixtenses, o time esteve impecável naquela noite memorável. Entretanto, neste artigo quero tratar indignado de outro assunto, aliás, o mesmo da semana passada, a questão dos transportes em Mato Grosso, em especial a expansão da ferrovia no estado.

Sábado passado, dia 13, o site RDNews trouxe matéria de Valérya Próspero sobre o projeto da ferrovia Cuiabá-Santarém, informando que os chineses estão pedindo celeridade no processo, chegando a ameaçar a aplicar em outro estado os R$ 10,0 bilhões que pretendem investir na obra. Os chineses estiveram aqui pela primeira vez há 2 anos quando visitaram o governador Silval manifestando interesse em investir na obra e inclusive foram com ele por terra até Santarém. Antes, em junho daquele mesmo ano, 2011, o estado, com a VALEC e ANTT já haviam assinado compromisso para início imediato dos estudos. Em dezembro do ano passado os chineses voltaram aqui reiterando as intenções de investimento quando foi prometido que no começo de 2013 seriam iniciados os estudos de viabilidade econômica, aqueles que se iniciariam em 2011. Até agora, abril de 2013, nada, “nem o estudo para fazer o processo de concessão da ferrovia foi iniciado”, o que teria motivado a cobrança de rapidez nos processos, conforme a matéria.

O incrível é que o secretário de Logística do estado, meu amigo Francisco Vuolo, filho do eterno senador Vicente Vuolo, o “pai da ferrovia”, tenha dito que “se os chineses desistissem da empreitada não estaria tudo perdido, pois, com os rumores de recuo, outros grupos da China, Rússia, Espanha e Coréia do Sul se interessaram”. Apesar de confiar na força atrativa de investimento do estado e da altíssima viabilidade do projeto em questão, nada recomendaria tamanha tranquilidade, afinal são 10,0 bilhões de reais que não se encontra por aí a toda hora. Ademais a logística constitui o principal problema do estado, problema que extrapola em muito a questão econômica, envolvendo a área ambiental, a qualidade de vida do povo e, principalmente, mortes, muitas mortes e mutilações rodoviárias evitáveis que martirizam o mato-grossense cotidianamente. Diz ainda o secretário que ”quem emperrou a documentação foi a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que, até agora, não liberou a licença necessária” para os estudos que, segundo ele, serão iniciados ainda este ano pela UFSC, com prazo de conclusão de 1 ano. Estou surpreso, pois vem sendo passada a ideia de que estes estudos já estavam em andamento faz tempo. O interessante é que na semana passada houve uma audiência pública na Câmara dos Deputados, com a presença inclusive da ANTT, e não ouvi falar de nenhuma cobrança sobre essa tal licença.

Continue Reading

Share Button

Governador Silval Barbosa assegura continuidade de obras do PAC em Mato Grosso

e Cristina Azevedo

O governador Silval Barbosa cumpriu agenda em Brasília com a Ministra do Planejamento, Mirian Belchior, nesta quarta-feira (10.04), eapresentou as demandas de Mato Grosso para serem mantidas dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), na área de logística e habitação. O ponto de destaque foi assegurar que as obras da BR 158 continuem. Silval esteve acompanhado de Francisco Vuolo, secretário-extraordinário de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes,

Após a reunião, o govenador afirmou que definiu com a ministra Mirian Belchior que os programas que o Governo Federal executa no estado serão mantidos dentro do PAC. “O que nós queríamos, agora, era uma decisão do que vai ficar no PAC e as quais serão excluídas”, disse. Ele enfatiza que a prioridade de Mato Grosso é a logística. “Os maiores problemas que temos hoje é a nossa logísticas de transporte, principalmente para nós em mato Grosso, que produzimos no centro do Brasil e precisamos ter poder de competitividade”.

Para Silval o poder de competitividade passa pela ferrovia. “Por isso estamos aqui, brigando, lutando, reivindicando e participando de todos os movimentos e audiências, para que a ferrovia se concretize o mais rápido possível”. Ele lembrou que os Portos de Santos e Paranaguá, por onde são exportadas a nossa produção, estão saturados.

Silval disse que a ministra garantiu que para as obras estruturantes de Mato Grosso, bem como aos programas sociais e da segurança para a copa do Mundo os recursos estão garantidos e não vão faltar. Quanto a BR 158, o governador disse que as obras de contorno em reserva indígena do Xingu também estãoasseguradas.

Continue Reading

Share Button

Terminal de Rondonópolis já pode funcionar

A operação do terminal ferroviário de Rondonópolis já está pronta para começar. Só depende da liberação do Ibama, prevista para acontecer neste mês de abril. A informação é de Francisco Vuolo secretário-extraordinário de Estado de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes.

Vuolo analisou a questão da logística de transporte num momento em que há ameaça de cancelamento de contratos de compra de mais de dois milhões de toneladas grãos, por falta de transporte. Para ele o momento é do governo federal reconhecer a “necessidade de dar celeridade na implementação dos projetos de logísticas com ênfase no modal ferroviário, como é a vontade do Governo Estadual”.

O secretário se mostrou otimista pela nova configuração de PPP (Parceria Público Privada), que deverá orientar a construção das linhas ferroviárias de Rondonópolis a Cuiabá e a Lucas do Rio Verde, principalmente depois que a Clean Air Transportes Aéreos manifestou interesse em investir nestes trechos, em correspondência protocolada junto ao governo do Estado no dia 20 de março.

Continue Reading

Share Button

Ferrovia é foco de reunião em Empresa de Projetos e Logística

Com Cristina Avezedo

O governador Silval Barbosa, ao final da reunião na Empresa de Projetos e Logísticas (EPL), nesta terça-feira (13.03), classificou positivamente o encontro. Em reunião com o presidente da EPL, Bernardo Figueiredo, o assunto principal foi a Ferrovia Integração do Centro Oeste (Fico).

A EPL confirmou as informações divulgadas da Agência Nacional Transportes Terrestres (ANTT), como o trajeto da Ferrovia Fico. A até o final de abril deve ser realizado todas as audiências públicas para o edital de licitação.

Segundo Silval Barbosa, o Secretário-extraordinário de Estado de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes, Francisco Vuolo, já está organizando a audiência de Lucas de Rio Verde, junto com o prefeito Otaviano Piveta, a próxima será em Cuiabá. “Na próxima semana ele retorna a Brasília e irá fechar a agenda com a ANTT”, explica.

Continue Reading

Share Button

Edmilson Santos assume Selit e adjunto Marcel de Cursi o comando da Sefaz

O governador Silval Barbosa convocou o secretário de Estado de Fazenda, Edmilson José dos Santos, para o comando da Secretaria Extraordinária de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes (Selit), em substituição a Francisco Vuolo, que se descompatibilizou no início de junho.

Silval Barbosa destaca o papel fundamental que a logística desempenha para o desenvolvimento de Mato Grosso, daí a importância da Pasta no desenvolvimento de projetos como da reforma e ampliação do Aeroporto Marechal Rondon; da expansão da Malha Norte, até Rondonópolis; os projetos da Ferrovia Senador Vicente Vuolo entre Cuiabá e Rondonópolis; e, principalmente, a atração de investimentos para a construção da Ferrovia Cuiabá-Santarém.

Continue Reading

Share Button

Silval Barbosa assina convênio com Infraero que garante entrega de Aeroporto em dezembro de 2013

O convênvio entre o Governo de Mato Grosso e a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), para construção e reforma do novo Aeroporto Marechal Rondon, foi assinado no início da noite desta terça-feira (03.07) pelo governador Silval Barbosa e o presidente da Infraero, Antônio Gustavo Matos do Vale. Pelo novo convênio a Infraero entrega ao Governo o projeto executivo da obra e o Estado, por meio da Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo Fifa 2014 (Secopa), vai realizar pelo Regime Diferenciado de Contratações (RDC) a licitação e execução da obra, enquanto a Infraero faz o repasse dos recursos e, ainda, a fiscalização e controle ambiental durante a execução das obras, que tem o prazo estipulado de 21 meses.

A solenidade e assinatura aconteceu na sede da Infraero em Mato Grosso, localizada no Aeroporto Marechal Rondon, com a presença do titular da pasta da Secopa, Maurício Guimarães, e integrantes da diretoria técnica da Infraero.

O governador Silval Barbosa disse ao receber o projeto da Infraero que o Estado de Mato Grosso, por meio da Secopa, tem todas as condições de tornar à praça, no menor tempo possível, o edital para licitar essa importante obra que está dentro da Matriz de Responsabilidade assinado com a Fifa. O chefe do Executivo estadual lembrou que Cuiabá, entre todas as sedes da Copa do Mundo, foi que a primeira que realizou licitação total pelo Regime Diferenciado de Contratações (RDC), processo esse que vem sendo acompanhado pelos órgãos fiscalizadores como o Tribunal de Contas (TCE), o Ministério Público, e todos têm elogiado o modelo e transparência dos processos.

Silval Barbosa ressaltou apenas um dado do convênio. Ele espera que a obra esteja concluída antes dos 21 meses estabelecidos no convênio. “Vamos terminar antes, para oferecer a garantia e mais conforto aos usuários do nosso aeroporto”, disse. Em sua fala o governador fez um rápido balanço do que vem sendo feito na área de logística aérea. Ele anunciou que o Governo, por meio da Secretaria de Desenvolvimento do Turismo (Sedtur), vai investir na melhoria e modernização de diversos aeroportos do interior do Estado, para poder receber melhor os turistas que visitam Mato Grosso. Em 2008, passaram pelo Aeroporto Marechal Rondon mais de 860 mil passageiros, enquanto em 2011 foram mais de 2,6 milhões. Após a conclusão, o Aeroporto terá uma capacidade para receber 5,7 milhões de passageiros ano. Esses números mostram que Mato Grosso cresce e o novo aeroporto vai ser um ponto a mais na atração de novos investimentos.

Continue Reading

Share Button

Terminal de Itiquira é mais um passo do avanço da Ferrovia em Mato Grosso

O Terminal Intermodal de Itiquira – que será inaugurado neste sábado (02.06) com a presença do governador Silval Barbosa e do ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos- é a concretização de um ideal visionário do grande Euclides da Cunha, lá no início do século 20, da determinação política do Senador Vicente Vuolo e do empreendedorismo de empresários que acreditaram na viabilidade desse projeto. O passo que se concretiza representa mais 212 quilômetros de ferrovia, no trecho Alto Taquari – Alto Araguaia – Itiquira. Os outros 148 quilômetros até a cidade de Rondonópolis estão em construção e o trecho deverá estar concluído até dezembro deste ano, segundo a concessionária América Latina Logística (ALL).

“O Terminal de Itiquira é um passo concreto do avanço da Ferrovia em Mato Grosso”, afirma o secretário extraordinário de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes de Mato Grosso (Selit/MT), Francisco Vuolo. E esse avanço deve-se em grande parte à determinação política do governo Silval Barbosa, que vê a logística como um fundamento importante na expansão econômica de Mato Grosso, que hoje é o maior exportador de grãos, um dos maiores produtores de carne bovina.

A importância do Terminal Intermodal para a cidade de Itiquira, segundo Vuolo, tem diversos aspectos. O primeiro deles, é o econômico, que se vê claramente, cujos resultados efetivos já trouxeram para Mato Grosso, desde 2000, quando da inauguração do Terminal de Alto Taquari e posteriormente o Terminal de Alto Araguaia. A transformação por qual passou essas cidades e a região em torno delas é evidente. Eram cidades – apesar da qualidade da terra, do potencial agropecuário – cujas expectativas eram limitadas. Com a chegada da ferrovia aconteceu um crescimento significativo, atraindo indústrias, valorização econômica da terra, geração de novos empreendimentos, num círculo virtuoso permanente.

Junto com esse crescimento, alia-se os avanços sociais. Alto Taquari e Alto Araguaia investiram no aumento de escolas e na área de saúde para atender ao crescimento da demanda. Esses investimentos na área social, destaca Vuolo, impactaram também na população como um todo, além da geração de emprego e renda. “Ao que tudo indica, o Terminal de Itiquira vai produzir algo semelhante na região”, analisa.

Continue Reading

Share Button

Secretário Francisco Vuolo cobra prazos da Infraero

A Infraero, pela primeira vez desde a assinatura do Termo de Cooperação com o Governo de Mato Grosso, em março de 2011, não está cumprindo com o cronograma estabelecido para a reforma e ampliação do Aeroporto Internacional Marechal Rondon – VG.

O atraso da não assinatura do segundo convênio referente às obras definitivas de ampliação do terminal, incluindo o estacionamento podem comprometer os prazo de entrega das obras do Aeroporto. “A assinatura do convênio estava prevista inicialmente para o mês de abril deste ano, porém, este prazo foi prorrogado para o início do mês de maio, e infelizmente não ocorreu. Aguardaremos até o próximo dia 18 uma posição oficial da Infraero. Caso isso não ocorra, estaremos tomando as providências cabíveis para a solução desse impasse.” informa o secretário Extraordinário de Logística Intermodal de Transportes, Francisco Vuolo.

O motivo pela demora da não assinatura do último acordo, se deve ao fato da empresa do Estado da Bahia, Globo Engenharia, contratada pela Infraero, não ter entregue o projeto até o presente momento. Segundo Francisco Vuolo, a Infraero alega que está encontrando dificuldades com empresa baiana. Ele espera que a Infraero tome providências legais para que a Globo Engenharia cumpra os prazos estabelecidos no contrato. “Sem esse projeto o Governo de Mato Grosso poderá ter comprometido o cronograma para a realização da licitação e conseqüente emissão da ordem de serviço. Não podemos ficar reféns de empresas descompromissadas com o interesse coletivo. Naquilo que for necessário faremos todo esforço para contribuir e concluir essa importante etapa.”, enfatiza Vuolo.

Vuolo é taxativo em dizer que o Estado, assim que percebesse qualquer possibilidade de atraso nas obras do Aeroporto Marechal Rondon, seria o primeiro a se manifestar. “Mesmo sendo da Matriz de Responsabilidade do Governo Federal, o aeroporto é tratado pelo governo Silval Barbosa como prioridade, inclusive firmamos um acordo com a Infraero no sentido de somar esforços para cumprir os prazos exigidos pela FIFA. Dessa forma, estamos atentos a todos os andamentos relacionados às obras.”

O Secretário salienta ainda, que no acordo firmado entre Governo do Estado e Infraero, duas das três etapas estão dentro dos prazos previstos, são elas: a construção do MOP – Módulo Operacional, cuja entrega ocorreu em novembro de 2011 e as obras de demolição e construção do novo prédio administrativo da Infraero que estão em fase de execução e tem a sua conclusão e entrega previstos para setembro deste ano. “Resta agora a assinatura do último convênio que garantirá a licitação e autorização para as obras definitivas de ampliação do terminal do Aeroporto Marechal Rondon, cujo prazo final para entrega será em dezembro de 2013.”

Fonte: Secom/MT

Share Button

Ibama emite Licença de Operação da Ferrovia Senador Vuolo até Itiquira

O presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Minerais Renováveis (Ibama), Fernando Marques, assinou na tarde desta segunda-feira (23.04) a Licença de Operação (LO) da Ferrovia Senador Vicente Vuolo – o trecho até Itiquira. A informação é da Secretaria-extraordinária de Estado de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes (Selit). Com a liberação da LO, o Terminal Intermodal de Itiquira já poderá funcionar a partir da próxima semana. O foco agora é a conclusão do trecho até a cidade de Rondonópolis, diz o titular da Selit, Francisco Vuolo.

A liberação da LO, lembra o secretário, deve-se a ação do governador Silval Barbosa, que na semana anterior esteve em audiência, junto com membros da bancada federal, na sede do Ibama, em Brasília. “A participação do governador Silval Barbosa foi decisiva”, afirma o secretário.

Na oportunidade participaram o senador Jayme Campos, os deputados federais Wellington Fagundes, Eliene Lima e Homero Pereira, o prefeito de Itiquira, Ernane Sander, além de dirigentes da ALL – América Latina Logística, que entregaram os últimos documentos exigidos pelo órgão.

Continue Reading

Share Button

Infraero recebe o projeto definitivo do Aeroporto Marechal Rondon

A Global Engenharia, empresa de projetos de engenharia, entregou nesta terça-feira (27.03) à Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), em Brasília , o projeto definitivo do Aeroporto Internacional Marechal Rondon de Cuiabá/Várzea Grande. A entrega, destacou o secretário extraordinário de Estado de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes (Selit), Francisco Vuolo, foi rigorosamente dentro do prazo firmado na parceria com o Governo do Estado. Agora a Infraero começa a avaliar o projeto e no prazo máximo de até 20 dias dará o seu parecer e o governo assinará, então, o termo de convênio para construção da terceira etapa, final, de ampliação do Marechal Rondon, no valor estimado de R$ 80 milhões.

Com assinatura desse segundo convênio, a Secretaria de Estado de Cidades (Secid) vai lançar o edital para licitar as empresas que irão executar as obras dessa importante etapa do Marechal Rondon. Assim que o edital for lançado, começa a correr o tempo estipulado para construção dessa nova etapa. Francisco Vuolo lembra que o governo está trabalhando com o prazo de dezembro de 2013.

Continue Reading

Share Button