Gabriel García Marquez conta como foram os 18 meses de psicografia de Cem Anos de Solidão

A ODISSEIA LITERÁRIA DE UM MANUSCRITO Por Gabriel García Marquez | No início de agosto de 1966, eu e Mercedes fomos aos correios de San Angel, na cidade do México, para enviarmos os originais de Cem anos de solidão a Buenos Aires. Era um pacote de quinhentas e noventa folhas de papel comum, em espaço duplo, escritas à máquina, e endereçadas ao diretor

Share Button
Continue lendo