Eduardo Mahon faz picadinho de Ives Gandra Martins que se diz discriminado e não sabe como viver no país, pois não é negro, homossexual, índio, assaltante, guerrilheiro e nem invasor de terras, esquecendo-se apenas de dizer que é rico

A difícil vida do branco, hetero e rico O Ives Gandra não é negro, nem homossexual, nem índio, nem sem-terra e pergunta como vai fazer para viver no Brasil nos dias atuais. Alega o renomado tributarista que, de certo modo, virou minoria. Por um momento, fiquei com pena de Ives Gandra. Ele, coitado, é mesmo franca minoria em nosso país.

Share Button
Continue lendo