Lula: Neste momento em que uma ameaça fascista paira sobre o Brasil, quero chamar todos e todas que defendem a democracia a se juntar ao nosso povo mais sofrido, aos trabalhadores da cidade e do campo, à sociedade civil organizada, para defender o estado democrático de direito

Por Luiz Inacio Lula da Silva | Meus amigos e minhas amigas,

Chegamos ao final das eleições diante da ameaça de um enorme retrocesso para o país, a democracia e nossa gente tão sofrida. É o momento de unir o povo, os democratas, todos e todas em torno da candidatura de Fernando Haddad, para retomar o projeto de desenvolvimento com inclusão social e defender a opção do Brasil pela democracia.

Por mais de 40 anos percorri este país buscando acender a esperança no coração do nosso povo. Sempre enfrentamos o preconceito, a mentira e até a violência, e, mesmo assim, conseguimos construir uma profunda relação de confiança com os trabalhadores, com as pessoas mais humildes, com os setores mais responsáveis da sociedade brasileira.

Foi pelo caminho do diálogo e pelo despertar da consciência cidadã que chegamos à Presidência da República em 2002 para transformar o país. O povo sabe e a história vai registrar o que fizemos, juntos, para vencer a fome, superar a miséria, gerar empregos, valorizar os salários, criar oportunidades, abrir escolas e universidades para os jovens, defender a soberania nacional e fazer do Brasil um país respeitado em todo o mundo.

Tenho consciência de que fizemos o melhor para o Brasil e para o nosso povo, mas sei que isso contrariou interesses poderosos dentro e fora do país. Por isso tentam destruir nossa imagem, reescrever a história, apagar a memória do povo. Mas não vão conseguir.

Para derrubar o governo da presidenta Dilma Rousseff, em 2016, juntaram todas as forças da imprensa, com a Rede Globo à frente, e de setores parciais do Judiciário, para associar o PT à corrupção. Foram horas e horas no Jornal Nacional e em todos os noticiários da Globo tentando dizer que a corrupção na Petrobras e no país teria sido inventada por nós.

Esconderam da sociedade que a Lava Jato e todas as investigações só foram possíveis porque nossos governos fortaleceram a Controladoria Geral da União, a Polícia Federal, o Ministério Público e o Judiciário. Foi por isso, e pelas novas leis que aprovamos no Congresso, que a sujeira deixou de ser varrida para debaixo do tapete, como sempre aconteceu em nosso país.

Apesar da perseguição que fizeram ao PT, o povo continuou confiando em nosso projeto, o que foi comprovado pelas pesquisas eleitorais e pela extraordinária recepção a nossas caravanas pelo Brasil. Todos sabem que fui condenado injustamente, num processo arbitrário e sem provas, porque seria eleito presidente do Brasil no primeiro turno. E resistimos, lançando a candidatura do companheiro Fernando Haddad, que chegou ao segundo turno pelo voto do povo.

O que assistimos desde então foi escandaloso caixa 2 para impulsionar uma indústria de mentiras e de ódio contra o PT. De onde me encontro, preso injustamente há mais de seis meses, aguardando que os tribunais façam enfim a verdadeira justiça, minha maior preocupação é com o sofrimento do povo, que só vai aumentar se o candidato dos poderosos e dos endinheirados for eleito. Mas fico pensando, todos os dias: por que tanto ódio contra o PT?

Será que nos odeiam porque tiramos 36 milhões de pessoas da miséria e levamos mais de 40 milhões à classe média? Porque tiramos o Brasil do Mapa da Fome? Porque criamos 20 milhões de empregos com carteira assinada, em 12 anos, e elevamos o valor do salário mínimo em 74%? Será que nos odeiam porque fortalecemos o SUS, criamos as UPAS e o SAMU que salvam milhares de vidas todos os dias?

Ou será que nos odeiam porque abrimos as portas da Universidade para quase 4 milhões de alunos de escolas públicas, de negros e indígenas? Porque levamos a universidade para 126 cidades do interior e criamos mais de 400 escolas técnicas para dar oportunidade aos jovens nas cidades onde vivem com suas famílias?

Talvez nos odeiem porque promovemos o maior ciclo de desenvolvimento econômico com inclusão social, porque multiplicamos o PIB por 5, porque multiplicamos o comércio exterior por 4. Talvez nos odeiem porque investimos na exploração do pré-sal e transformamos a Petrobras numa das maiores petrolíferas do mundo, impulsionando nossa indústria naval e a cadeia produtiva do óleo e gás.

Talvez odeiem o PT porque fizemos uma revolução silenciosa no Nordeste, levando água para quem sofria com a seca, levando luz para quem vivia nas trevas, levando oportunidades, estaleiros, refinarias e indústrias para a região. Ou talvez porque realizamos o sonho da casa própria para 3 milhões de famílias em todo o país, cumprindo uma obrigação que os governos anteriores nunca assumiram.

Será que odeiam o PT porque abrimos as portas do Palácio do Planalto aos pobres, aos negros, às mulheres, ao povo LGBTI, aos sem-teto, aos sem-terra, aos hansenianos, aos quilombolas, a todos e todas que foram discriminados e esquecidos ao longo de séculos? Será que nos odeiam porque promovemos o diálogo e a participação social na definição e implantação de políticas públicas pela primeira vez neste país? Será que odeiam o PT porque jamais interferimos na liberdade de imprensa e de expressão?

Talvez odeiem o PT porque nunca antes o Brasil foi tão respeitado no mundo, com uma política externa que não falava grosso com a Bolívia nem falava fino com os Estados Unidos. Um país que foi reconhecido internacionalmente por ter promovido uma vida melhor para seu povo em absoluta democracia.

Será que odeiam o PT porque criamos os mais fortes instrumentos de combate à corrupção e, dessa forma, deixamos expostos todos que compactuaram com desvios de dinheiro público?

Tenho muito orgulho do legado que deixamos para o país, especialmente do compromisso com a democracia. Nosso partido nasceu na resistência à ditadura e na luta pela redemocratização do país, que tanto sacrifício, tanto sangue e tantas vidas nos custou.

Neste momento em que uma ameaça fascista paira sobre o Brasil, quero chamar todos e todas que defendem a democracia a se juntar ao nosso povo mais sofrido, aos trabalhadores da cidade e do campo, à sociedade civil organizada, para defender o estado democrático de direito.

Se há divergências entre nós, vamos enfrentá-las por meio do debate, do argumento, do voto. Não temos o direito de abandonar o pacto social da Constituição de 1988. Não podemos deixar que o desespero leve o Brasil na direção de uma aventura fascista, como já vimos acontecer em outros países ao longo da história.

Neste momento, acima de tudo está o futuro do país, da democracia e do nosso povo. É hora de votar em Fernando Haddad, que representa a sobrevivência do pacto democrático, sem medo e sem vacilações.

Share Button

A matéria da Record é bastante esclarecedora sobre a participação da Rede Globo no FIFAgate

NAMARRA | A reportagem sobre do depoimento do executivo argentino Alejandro Burzaco à Justiça de Nova York foi ao ar no dia 15, quarta-feira, no Jornal da Record.

No depoimento o argentino delatou o esquema de corrupção na Fifa e  volta a afirmar que emissoras de TV pagaram propina para garantir os direitos de transmissão do futebol, entre elas a TV Globo.

><>Meu Peixe pede que se abra uma aspas para o post de Luis Nassif, no site GNN, comenta as encrencas da Globo no referido caso. Um deles é o ex-executivo Marcelo Campos Pinto aposentado em 2015 e citado na matéria da Record.

Abre aspas: 

Por Luis Nassif | Assim que estourou o escândalo, em maior de 2015 a Globo tratou de demitir seu principal lobista, Marcelo Campos Pinto, mais três executivos que participaram diretamente dos esquemas de propinas.

Em comunicado oficial, Roberto Irineu Marinho anunciou a aposentadoria de Marcelo. Na época, estudo do BBA Itau indicavam que a Globo obteve um faturamento publicitário de R$ 1,21 bilhão com os patrocínios dos campeonatos.

Todos os executivos receberam uma boa bolada com duas condições: não trabalhar para nenhum concorrente da Globo; e assumir a culpa, caso as investigações sobre a corrupção na CBF chegassem até a Globo.

Três assinaram. Marcelo se recusou.

É ele o elo da corrente que poderá jogar a Globo nas redes de um poder imune às interferências políticas: a Justiça norte-americana.

Fecha aspas.

Share Button

Entre aspas: A Globo, as organizações Globo, está no radar do FBI, segundo matéria assinada por Luis Nassif

><>Eis um pequeno trecho, a Peça 3, da matéria que revela a enorme omissão do Ministério Público Federal, hoje um braço político da anarquia institucional que transformou o Brasil numa república de bananas.

Peça 3 – o know how brasileiro e a Globo

A FIFA é um escândalo eminentemente brasileiro, know how tupiniquim, desenvolvido pela Rede Globo, em parceria com a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e levado por João Havelange para a FIFA.

Cria-se uma empresa laranja, que adquire os direitos de transmissão por um preço mínimo. Depois, a laranja vende para as emissoras de TV, que faturam várias vezes mais com a venda do patrocínio. Parte da diferença fica com os laranjas, que repassarão para os dirigentes esportivos.

Confira na tabela um exemplo hipotético de como funciona o esquema. Usei percentuais aleatórios, pelo fato das investigações ainda não terem consolidado os números reais.

Nos campeonatos brasileiros, o laranja era a empresa Traffic Group, do ex-jornalista J. Hawilla. Na Argentina, o Torneios y Competencia. Na FIFA, a ISL, que quebrou em 2001. Nos negócios de Rosell, a Alianto.

Os grupos de midia acertavam os acordos com os dirigentes de federações, mas o contrato era fechado com os laranjas. Era da parte dos laranjas que saiam as propinas para os dirigentes. E se fosse muito grande a diferença entre o valor recebido pelas emissoras na venda de patrocínios, e aqueles pagos aos laranjas, tratava-se de negócio entre privados. Crime perfeito!

Fonte: Xadrez de como a Globo caiu nas mãos do FBI | GGN

Share Button

Entre aspas: Que apurem a ‘sociedade privada’ entre Globo e Odebrecht nos anos FHC, diz advogado

QUI, 20/04/2017 – 17:30

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O advogado Roberto Teixeira respondeu, em nota à imprensa, a reportagem de O Globo sobre elaboração de contratos fictícios com a empresa Odebrecht em torno do sítio de Atibaia. Segundo o defensor, o jornal mentiu para seus leitores, porque nem as delações sem provas de executivos da Odebrecht afirmam que existiu esse tipo de fraude.

Além disso, Teixeira disse que a Globo deveria explicar, por outro lado, que “sociedade privada” foi criada no governo FHC, em parceria com a Odebrecht para “quebrar o monopólio” do setor de telecomunicações em favor da emissora. Continue Reading

Share Button

Garotinho, preso por crime eleitoral, dias antes denunciou que as Organizações Globo recebeu R$2 bilhões do governo Cabral; veja o vídeo

Share Button

TVCA impede candidato da Rede de participar de debate

A TV Centro América (TVCA), afiliada da Rede Globo em Mato Grosso, assumiu também o seu caráter antidemocrático e golpista, assim como a emissora-mãe, e vetou a participação do candidato a prefeito de Cuiabá, Renato Santtana, da Rede Sustentabilidade de participar do debate entre os candidatos, previsto para o dia 29 de setembro, por não alcançar a margem de 5% na segunda rodada de pesquisas do IBOPE.

O candidato da Rede, porém, vai reagir e já ingressou na noite da última sexta-feira (16), no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) uma ação contra a filial da TV das organizações Globo em Mato Grosso.

Renato explica que o partido não completou nem um ano e que não tem condições da Rede aparecer com representatividade nas pesquisas em tão pouco tempo de campanha. E afirma que essa decisão, da emissora, fere os direitos da democracia.

“A gente entende que a legislação foi objetiva ao dizer que os partidos que não têm nove deputados federais não podem participar dos debates. Entretanto, existe uma ressalva. As emissoras podem convidar o candidato, o que consiste em um objeto democrático. Mas não é o que está sendo feito. Faz parte do jogo democrático que todos os cidadãos têm direito a ouvir as propostas dos partidos”, diz.

Outro ponto questionado pelo candidato é o PSOL poder participar do debate já que o partido também não apresenta nove deputados federais. “Eles não possuem nove parlamentares assim como nós, mas já participaram de seis eleições, por isso apresenta um índice maior que o nosso nas pesquisas. Já a Rede, irá completar um ano dia 22 deste mês. Não podemos aceitar e por isso judicializamos na Justiça Eleitoral. Ou os seis partidos estejam no debate ou apenas os quatro que tem mais de nove deputados federais, PRB, PSDB, PMDB e PDT”, afirma.

O candidato ressalta que essa atitude prejudica a campanha da Rede por não dar oportunidade de apresentar suas propostas. “Devemos apresentar no debate argumentos que ajudam o eleitor a decidir o seu voto. Não aceitamos que calem nossa voz. Agora está nas mãos do judiciário.

Esperamos que a justiça sinalize que estamos no século XXI, no tempo da democracia e da transparência. Não podemos voltar ao passado, no tempo da censura, temos que caminhar rumo ao futuro”. (Com material da Assessoria)

Share Button

Quase exclusivo: Lula não é dono do tríplex

Uma das inúmeras fotomontagens para mostrar a relação de Lula e o tríplex... anti-jornalismo da pior espécie

Uma das inúmeras fotomontagens para mostrar a relação de Lula e o tríplex… anti-jornalismo da pior espécie

A Políça Federal, depois de uma exaustiva investigação, que demorou praticamente dois processos eleitorais e estava encaminhando pro terceiro, descobriu que o apartamento tríplex no Guarujá não é de propriedade de Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente da República, cabo eleitoral de Dilma Rousseff e líder nas pesquisas de intenção de votos para 2018.

Os jornais, revistas e tvs, em especial a emissora das Organizações Globo, durante esses anos todos – embora cientes que a PF, MPF e Sérgio Moro não conseguiriam provar a titularidade do imóvel em nome de Lula, não deixaram de difamar e caluniar o ex-presidente.

O jornal nacional, que já foi líder de audiência, porém hoje está despencando nas aferições do ibope, apresentava longas, eternas reportagens, mostrando a localização do tríplex, simulando a visita do ex-presidente e dona Marisa, enfim, procurando dar ares de jornalismo, quando se tratava apenas de jornalismo de guerra, um vale tudo.
Lula não é dono do tríplex. Vamos repetir Lula não é dono do tríplex.

A Poliça Federal, contudo, continua investigando o sítio de Atibaia, os pedalinhos dos netos do casal Lula-Marisa e o barco de lata.

A PF acredita que tem munição para abastecer o circo de notícias até véspera das eleições, senão as presidenciais, ao menos as municipais e tentar influenciar no resultado, principalmente em São Paulo.

Share Button

Após ser afastado por comer biscoito no ar, Vanucci ganha indenização da Globo

(por Izabela Vasconcelos) O jornalista Fernando Vanucci recebeu parte da indenização que exigiu da Globo, 11 anos após o episódio em que apareceu comendo biscoito no programa “Esporte Espetacular”. Na época, a emissora considerou o ato uma infração e, além de afastar, multou o jornalista.

Inconformado, Vanucci moveu um processo pedindo vínculo empregatício, já que estava na emissora como pessoa jurídica, e indenização por danos morais. No início da ação, o valor estipulado girava em torno de R$ 2 milhões.

Para ele, a punição da emissora foi um exagero. “Trabalhei por 26 anos na Globo, esperava um pouco mais de respeito”, disse.

Continue Reading

Share Button