Termo de Compromisso com a ANTT garante projeto básico para a Ferrovia chegar em Cuiabá

A assinatura do “Termo de Compromisso” entre o Governo de Mato Grosso, Agência Nacional de Transportes Terrestre (ANTT) e a empresa Valec Engenharia, Construções e Ferrovias para elaboração dos estudos e projetos do trecho da Ferrovia Senador Vuolo entre Rondonópolis e Cuiabá será uma das principais pautas do Seminário “Desenvolvimento e Ferrovias – Centro Oeste”, que acontece nesta segunda-feira (20.06) no auditório da Federação das Industrias de Mato Grosso (Fiemt). O seminário é uma promoção da Frente Parlamentar das Ferrovias e em Mato Grosso do Fórum Pró-ferrovia em Cuiabá, além da bancada federal.

O secretário-extraordinário de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes (Selit), Francisco Vuolo, afirma que essa assinatura é o “primeiro passo concreto para a chegada dos trilhos até Cuiabá. Os estudos devem demandar em torno de 18 meses – justamente o prazo que deve levar para a conclusão da obra da Ferronorte entre Itiquira e Rondonópolis”.

Vuolo ressalta que o início dos estudos de impactos ambientais e o Relatório de Impacto sobre o Meio Ambiente (EIA-Rima), estudo de viabilidade econômica, ambiental e e execução do projeto básico com definição do traçado da ferrovia de Rondonópolis a Cuiabá são a garantia que a construção da Ferrovia até Cuiabá não vai sofrer solução de continuidade.

Essa preocupação, lembra Francisco Vuolo, com a saída da ALL – que renunciou ao direito de concessão do trecho Rondonópolis-Cuiabá – passou a fazer parte da agenda do Governo de Mato Grosso e o governador Silval Barbosa, que não descansou até o acerto final com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, para liberação dos recursos. “Os estudos de impactos ambientais, o EIA-Rima, e o projeto básico (sem esse projeto não se começa nenhuma obra) será financiado pela ANTT. Esses recursos já estão assegurados”, assevera Vuolo.

O Seminário ‘Desenvolvimento e Ferrovias – Centro-Oeste’ vai dar continuidade ao debate “importância da ferrovia na infraestrutura de transportes e na logística brasileira” e, ao mesmo tempo, aliar as estratégias dos Estados de Mato Grosso, Goiás e Mato Grosso do Sul para esse importante modal de transportes.

O Seminário “Desenvolvimento e Ferrovias”, neste segundo encontro nacional – em Cuiabá, além da bancada federal do Centro-Oeste vai envolver as entidades ligadas aos transportes, que são o Ministério dos Transportes, a Valec, Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e América Latina Logística (ALL), detentora da concessão em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Vuolo diz que a participação dos Estados de Mato Grosso do Sul e Goiás é importante – até pela localização de Mato Grosso – já que as ferrovias, uma passa por Mato Grosso do Sul e outra vai iniciar em Goiás.

Os seminários “Desenvolvimento e Ferrovias” vão acontecer em todas regiões do Brasil. A primeira foi em junho, em São Paulo, com os estados da região Sudeste. O deputado federal Pedro Uczai, presidente da Frente Parlamentar, disse que os seminários servirão para elaborar os diagnósticos regionais e montar a estratégia para a atuação da frente no debate e articulação das políticas de expansão e financiamento das ferrovias. Para o parlamentar, o modal ferroviário é mais barato, mais seguro e ambientalmente sustentável. Depois do Centro-Oeste acontecerão outros três seminários: na Região Sul (Porto Alegre – 04/07), Nordeste (Salvador 11/07) e Norte (Rio Branco 29/07). As cinco etapas regionais irão subsidiar o Seminário Nacional que acontecerá no dia 06 de outubro, em Brasília.

Share Button

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR nas redes sociais: @joaobosquo

Você pode gostar...