Uma imitação de soneto: A poesia escondida

A poesia, enquanto poesia,
Se esconde em nós
Ou se esconde de nós?

Eis a interrogação
Que se faz quando
Se olha para o azul

O azul da cor
Do céu furta-cor
Do olhar azul
Perdido na imensidão…

A poesia
Esconde-esconde
Põe o poeta à prova
Porém não corresponde.

><>Poema integrante do livro “Imitações de Soneto – Ou De Falar Pantanal”, que continua à venda. As pessoas interessadas podem entrar em contato pelo messenger ou pelo email: joaobosquo@yahoo.com.br

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR
nas redes sociais: @joaobosquo

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. José Antonio disse:

    Muito bom, como todos os seus poemas.