Uma imitação de soneto: Os Navegantes

Quando os ingleses saíram para pescar
Os mares já estavam cheios de tubarões
De outros tubarões

Quando os espanhóis saíram para descobrir
Os mares já estavam coalhados de navios
E aí vieram os franceses

Quando os portugueses saíram para navegar
Navegar é preciso – o pau-brasil apareceu
No meio do oceano…

Os holandeses, sem tempo pra perder,
Embora sem caravelas, caras vermelhas,
Colocaram um tapa-olho, atravessaram os mares
Desembarcaram em Pernambuco
E conhecemos João Maurício de Nassau.

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR

Você pode gostar...