VALEU 2012, VIVA 2013! – artigo de José Antônio Lemos

Saudando este ano novo relembro, como fiz no início do ano passado, que a Grande Cuiabá vive o melhor momento de sua história e chega também a 2013 na perspectiva de mais um ano forte, cheio de situações extremas, positivas e negativas, que exigirão de seus dirigentes decisões ou omissões importantes marcantes para a cidade do futuro, para o bem ou para o mal. Ao cidadão cabe uma participação ativa nesse processo com a crítica propositiva do aplauso e da reprovação, do apoio e da cobrança, e sua ação ou omissão também serão decisivas para a cidade do futuro. Cobrar como na Bicicletada do “Movimento Ciclovia Já!”, em maio. Nós, cuiabano-várzeagrandenses – dirigentes e cidadãos – vivemos este momento mágico da cidade com a responsabilidade de otimizar suas oportunidades, agora em especial os projetos da Copa, iniciados ou não, cobrando qualidade em tempo hábil à preparação da cidade para a Copa e para seu tricentésimo aniversário em 2019. Melhor, a cidade para nossos descendentes, para sempre.

2012 foi bem. Projetos públicos e privados reviram a cidade num canteiro de obras superando o pleno-emprego e a marca das mil vagas de trabalho não preenchidas. A iniciativa privada saiu na frente e já produz seus primeiros frutos: hotéis inaugurados ou em construção, grandes lojas e marcas se instalando ou em ampliação, o primeiro shopping é triplicado junto com o lançamento de 2 outros grandes shoppings, começa a produção de cimento em Aguaçu e empreendimentos imobiliários espetaculares são lançados e inaugurados. Destacam-se ainda a visita dos chineses querendo construir a ferrovia Rondonópolis-Cuiabá-Santarém e a reativação da Termelétrica e do gasoduto. Na área pública a Arena Pantanal avança e as obras de mobilidade urbana enfim saíram do papel com as interseções viárias e o VLT, com promessa de inaugurações mensais ao longo do ano. Saiu até a Ordem de Serviço para as obras do Aeroporto Marechal Rondon. Viva!

Salta ainda à memória de 2012 o Mixto, cheio de problemas, sagrando-se campeão da Copa Mato Grosso, o Cuiabá Arsenal chegando ao bicampeonato brasileiro de futebol americano e a vinda a Cuiabá de mais de 6 mil pessoas para realização das Olimpíadas Escolares 2012, a maior competição esportiva estudantil do país. Serviu também para testar a cidade em eventos de grande porte. E o resultado foi bom.

Hoje é o primeiro dia do ano, dia da Paz e também dia do Senhor Bom Jesus de Cuiabá. Como já disse em outros artigos, para mim a Copa do Pantanal foi um artifício do Bom Jesus para dar um choque de adrenalina no seu povo – cidadãos e autoridades – para cair a ficha de que a cidade vive um novo tempo e que é preciso prepará-la para a festa da Tricentenário. Um choque positivo de futuro, para discutir e executar projetos, ainda que tenha muita gente pensando a cidade pelo retrovisor. Nesse sentido, o maior desafio é fazer a cidade institucional chegar à altura da cidade real que esbanja vitalidade, dinamismo e desenvolvimento, centralizando uma das regiões mais dinâmicas do planeta.

2012 trouxe também as eleições municipais com a escolha dos novos dirigentes da cidade – prefeitos e vereadores, aqueles que ficarão com a responsabilidade perante o mundo de acompanhar a reta final da preparação urbana para a Copa do Pantanal. Figuras novas na política, gente com um grande futuro pela frente, futuro que se confunde com o futuro da cidade. Poderão ser também os dirigentes do Tricentenário. Têm tudo para ser. Boa sorte para eles e para a cidade. Feliz 2013!

JOSÉ ANTONIO LEMOS DOS SANTOS, arquiteto e urbanista, é professor universitário.

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR
nas redes sociais: @joaobosquo

Você pode gostar...