Virtudes Intrínsecas – uma imitação de soneto de João Bosquo

Uma das virtudes intrínsecas da poesia é descascar abacaxi
Não precisa ser pérola, pode ser abacaxi selvagem
A poesia descasca com a mesma simplicidade d’uma uva
e o azedo do abacaxi selvagem ilumina o outro sabor

Uma das virtudes do abacaxi sereno é enganar pessoas
quando se passeia pela feira a procura duma fruta doce…
Ele não tem cara de fruta doce e doce não é quando azedo
O desafio é descascar e descobrir se precisa de açúcar

Uma das virtudes da cana de açúcar é virar açúcar,
depois de passar pela moenda, tornar-se garapa
e ir pro tacho -melado ganhar apuro- e vingar rapadura

Uma das virtudes (ou desvirtudes, nunca sabemos) do poeta,
quando a poesia se manifesta, é escrever -vã tentativa-
porções doçuras embora com o coração amargo de dor.

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR
nas redes sociais: @joaobosquo

Você pode gostar...