Viviene Lozi, em sua página no Facebook, se diz cansada

Tudo isso está me cansando: 1º expo. Santander; 2º Homossexualidade é doença; e 3º Falta de entendimento para ler uma obra de arte.

A perversão está na cabeça de quem protesta sem entender a mensagem que está por trás da obra de arte do artista Gervane de Paula que faz uma crítica feroz e real a situação degradante que vivem os usuários de crack, que é um problema PÚBLICO e de SAÚDE. Não deixe de visitar a exposição no “Pantanal Shopping” que reúne grandes nomes de artistas mato-grossenses como Adir Sodre SouzaVitória Basaia CarvalhoBenedito Luiz NunesDalva De Barros, Jonas Barros, Gervane de Paula, Carlos Lopes, Ruth Albernaz Silveira e conta com a curadoria de João Manteufel.

O vídeo gravado deveria estar fazendo um serviço social e não um desserviço.

Critique: A falta de Políticas públicas para essa área que deveria seguir o princípio da redução de danos e focar seus esforços na relação que o usuário tem com a droga;

Critique: A degradação social que ela gera e que está sendo mostrada na obra do artista;

Critique: As crianças portadoras do HIV que foram contaminadas por suas mães usuárias e não fazem pré-natal, o que poderia impedir a criança de contrair o vírus. Nascem viciadas, com crises de abstinências, compulsão à droga, tremores, calafrios e problemas físicos diversos, principalmente lesões no cérebro. O surgimento de uma nova geração de vítimas do crack não por vontade própria.

Critique: A exclusão social do usuário de Crack. Ele é temido socialmente, a partir do momento que causa um incômodo, as pessoas não querem vê-lo perambulando pelas cidades e os escondem debaixo do tapete.

Critique: Que o Crack é uma doença e não um desvio de caráter, e o crack não mata por si só, está associado a doenças secundárias, tais como tuberculose, aids, pneumonia, câncer de boca e outros.

Critique: Que a recuperação de um usuário de Crak é bem árdua, tanto pela dependência física e quanto pela psíquica.

Critique: Que não temos no Estado de MT lugares para recebem dependentes menores de 18 anos;

Critique: Que o “crack” é a verdadeira “desgraça” humana são indissociáveis e quase palavras sinônimas.

Critique: Que o crack traz a morte em vida do seu usuário, arruína a vida dos seus familiares e vai deixando rastros de lágrimas, sangue e crimes de toda espécie na sua trajetória maligna.

Critique: A ignorância para ler uma obra de arte, pois a população vive numa zona de conforto, senso comum e alienação. Quando não vê o belo em uma obra artística (o feio por detrás que incomoda os olhares) que está carregado de crítica social. Reflita, questione, pergunte, entenda, leia as placas de faixa etaria indicativa, peça ajuda de um mediador da exposição, converse com o artista e curador, antes de sair metralhando algo que simplesmente não entendeu.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

O quadro que o consumidor do Shopping Goiabeiras não entendeu, por ignorância

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado

Namarra

Matérias, notas que nós (eu e Meu Peixe) gostaríamos de escrever e observações diversas.

Você pode gostar...